A coragem necessária para o sucesso

Ser arrojado, mas sempre alicerçado em cima de uma assistência técnica com profissionais capacitados, esse é o caminho a ser seguido.

Celso Botelho Manhas
Fazenda: Brinco de Ouro do Tibagi

Município: São Jerônimo da Serra – PR
Rebanho: 1,3 mil cabeças (cria)
Tamanho da propriedade: 978 hectares

Um dos desafios da pecuária é a produção de forragens e a incidência de plantas daninhas nas pastagens é um inimigo da produção de alimento para os animais.

Pensando nisso, a Dow AgroSciences desenvolveu uma nova tecnologia de combate às plantas daninhas de difícil controle, denominada XT.

Através de eventos pelo Brasil, intitulados “Novos Horizontes”, a empresa tem informado aos produtores os resultados obtidos com os produtos XT.

No evento realizado na Fazenda Figueira, uma Estação Experimental Agrozootécnia, sob os auspícios da Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz da USP, em Londrina-PR, produtores da região estiveram presentes, dentre eles o pecuarista Celso Botelho Manhas.

Segundo ele, o que mais chamou atenção foi a preocupação da pesquisa em buscar uma nova tecnologia para melhorar a limpeza de pastagens, uma prática já em uso há tempos.

A expectativa do sr. Celso quanto aos produtos XT é grande, dado que esta tecnologia traz o que ele busca, “um produto com responsabilidade, equilíbrio, inovador e custo-benefício”.

Ele nos conta que sua propriedade passou por um período de estagnação e, há seis anos, buscou uma parceria com a Dow AgroSciences para a melhoria das pastagens, pois havia a necessidade de aumentar a produção de forragem.

No ano passado, por exemplo, os bezerros desmamados entre março e maio (primeira safra) não precisaram de creep-feeding, graças ao resultado positivo na produção de capim.

Não foi preciso a suplementação mineral proteica. Para ele, foi uma vantagem que não só o beneficia, como também o comprador dos bezerros, que leva um produto totalmente criado em pasto.

Pontua também que os resultados têm sido bons, mas ainda são necessárias algumas melhorias.

Chegar ao nível de hoje, não foi tarefa fácil para o sr. Celso. Com a ajuda de sua esposa (sra. Rosana) e sua sogra (sra. Alba), eles decidiram que o caminho para a melhoria da fazenda seria através do incremento de tecnologias.

A família está preparando a propriedade para a próxima geração, nas palavras do pecuarista “donos nós não somos, apenas cuidamos por um tempo. Temos que legar para nossas próximas gerações uma coisa viável, dentro das leis. Baseado em três pilares: meio ambiente, respeito ao ser humano e produção.”

Como sugestão aos demais pecuaristas, o sr. Celso frisa que o produtor tem que ser arrojado, porém, alicerçado em assistência técnica responsável.

“O primeiro passo é encontrar uma empresa que venha planejar o futuro com você. Quando eu contratei uma empresa para me dizer qual era o melhor ou o que eu deveria produzir, tivemos melhoria. Devemos ser parceiros de empresas sérias e ter arrojo.”

Para finalizar, animado com a nova tecnologia vista no evento, o sr. Celso aguarda o lançamento do produto, esperando com a sua utilização, manter sua escalada positiva de produtividade na fazenda.

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*