Balanço de 2018 indica que a reversão do ciclo de preços se aproxima

Em 2018, houve alta nas cotações dos animais de reposição, já evidenciando a transição do ciclo de baixa para o próximo ciclo de alta dos preços.

Reversão do ciclo de preços pecuários se aproxima

Em 2016, menos fêmeas foram destinadas para o abate em relação a 2015 e, consequentemente, houve maior produção de bezerros.

A somatória dos períodos de gestação, desmama e comercialização é em torno de 24 meses. Os bezerros produzidos pelas matrizes de 2016 chegaram em 2018 ao mercado, incrementando a oferta em relação a 2017.

Diante disso, o cenário que se desenhava para 2018 era de pressão de baixa sobre as cotações de reposição. Porém, os preços firmes para a arroba do boi gordo ao longo de 2018 estimulou o investimento na compra de animais de reposição e, como resultado, as cotações ganharam força.

Isso fica evidente quando analisamos a evolução das cotações para o bezerro de desmama nos estados com os dez maiores rebanhos do país.

Figura 1
Cotações médias do bezerro de desmama, por cabeça.

Cotações médias do bezerro de desmama, por cabeça.
Fonte: Scot Consultoria

Nos dez estados, as cotações médias para o bezerro de desmama se valorizaram desde o início do ano, mesmo com maior volume de animais disponíveis para as negociações. Além da firmeza nos preços, o volume de negócios também foi maior em relação a 2017, com destaque para a segunda metade do ano.

A partir do segundo semestre, as cotações no mercado do boi gordo entraram em trajetória de alta e a arroba do boi gordo subiu, em grande parte do país, em maior proporção do que as cotações no mercado de reposição, garantindo melhora no poder de compra do recriador e invernista. Ou seja, a partir de julho, o número de arrobas de boi gordo necessárias para a compra de um bezerro de desmama diminuiu.

Em São Paulo, por exemplo, ao final do primeiro semestre, eram necessárias, em média, 8,21 arrobas de boi gordo para a compra de um bezerro de desmama (6@). A partir de julho, essa mesma relação de troca caiu para 8,03 arrobas de boi gordo e, desde então, tem mantido o patamar próximo a 8 arrobas.

Além da melhora no poder de compra do recriador e do invernista, em 2018, as chuvas chegaram dentro da normalidade no Centro-Sul do país e a recuperação das pastagens foi mais rápida do que em 2017. Isso antecipou a demanda por negócios e ajudou a dar sustentação para as cotações no segundo semestre.

Expectativas para 2019 e oportunidades para o pecuarista

O fato de as cotações no mercado de reposição subirem em um ano de maior oferta de bezerros, como foi em 2018, já indica que a reversão do ciclo de preços está se aproximando.

Isso significa que já estamos diante de um período de transição entre o ciclo de baixa para o de alta dos preços no mercado de reposição. Seguindo o comportamento histórico do ciclo, a consolidação dessa alta pode ser já a partir de meados de 2019 ou 2020.

Lembrando que, de 2017 até aqui, o volume de fêmeas abatidas é crescente, o que naturalmente diminuirá a oferta de bezerros já a partir de 2019. Com menos bezerros no mercado, as cotações devem ganhar maior firmeza.

Logo, para o pecuarista que trabalha com cria, os bezerros produzidos nesta estação de monta, provavelmente, vão ser vendidos em um período de alta das cotações. Portanto, o momento atual é favorável para elevar a produção.

Da mesma forma, o momento também é favorável para o pecuarista que for comprar bezerro no curto prazo. Isso porque esse bezerro, quando for negociado futuramente como boi gordo, possivelmente deve ser vendido em um período de alta do mercado e, assim, garantir ágio para o pecuarista. 

Lembrando que o peso da compra de bezerros dentro de um sistema de recria e engorda é alto, representando cerca de 60% dos custos totais, portanto, acertar na compra diminui a pressão sobre as margens e aumenta as chances de lucro.

Conclusões

Em 2018, houve alta nas cotações dos animais de reposição, já evidenciando a transição do ciclo de baixa para o próximo ciclo de alta dos preços.

Para 2019, a expectativa é de manutenção de altas para a reposição e, como as cotações do bezerro e do boi gordo são altamente correlacionadas, com a retomada das altas para a cria, a arroba do boi gordo seguirá o mesmo caminho. Isso aumenta as chances de bons resultados para quem for comprar ou produzir bezerro no curto prazo.

Analisar as tendências do mercado é fundamental para traçar as estratégias futuras, tanto para os produtores de bezerro como para os compradores, e, apesar de não ser uma regra, esse cenário que está se desenhando já norteia os produtores. Sendo assim, vale a pena ficar com um olho no mercado e o outro na calculadora.

Autor: Breno de Lima – Zootecnista

 

 

Compartilhe

10 respostas para “Balanço de 2018 indica que a reversão do ciclo de preços se aproxima”

    1. Oi Elizabete, tudo bem? Ficamos felizes que tenha aprovado o conteúdo. Continue nos acompanhando para mais novidades sobre pecuária e vida no campo. ?

    2. Oi Elizabete, ficamos felizes que você tenha aprovado nosso conteúdo! ? Continue nos acompanhando para mais informações sobre pecuária e boas práticas no campo.

  1. As notícias sobre o agronegócio me são bastantes úteis, pois atuo como pequeno pecuarista e tambem como assessor da Comissão de Agricultura, Pecuária e Política Rural da Assembleia Legislativa de Pernambuco.

    1. Ficamos felizes que você aprova nosso conteúdo, Idelton! Continue nos acompanhando para ficar por dentro do melhor da pecuária e vida no campo. ??

    1. Que bom que você gostou, Leovegildo! Trabalhamos para trazer os melhores conteúdos para nossos leitores. Continue nos acompanhando para mais novidades da pecuária! ??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*