As oportunidades no mercado de fertilizantes

Menor demanda daqui para a frente tende a diminuir a pressão sobre os preços dos fertilizantes no país.

Em setembro, tem início a semeadura da safra brasileira de grãos (2020/2021).

No caso dos fertilizantes, a agricultura responde pela maior parte do volume comercializado no país. As compras para o plantio se concentram nos meses de maio a julho, e as entregas, de julho a setembro.

Na figura 1, apresentamos os volumes mensais de adubos entregues ao consumidor no país em 2019 e os dados disponíveis até então para 2020, segundo a Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda). O objetivo é mostrar a dinâmica do mercado interno, destacando a menor demanda por adubos no segundo semestre, que basicamente concentra as entregas ao agricultor.

Figura 1.
Volumes mensais de fertilizantes entregues no Brasil, em milhões de toneladas.

mercado de fertilizantes
Fonte: Anda

Estratégias para o pecuarista

Para o pecuarista que faz a adubação das pastagens, a menor movimentação no mercado interno de agosto em diante traz oportunidades de compras de fertilizantes. A demanda começa a aumentar a partir de março/abril, com as aquisições para a semeadura da safra de verão, nesse caso, já para a próxima safra (2020/2021).

Na figura 2, apresentamos os preços médios mensais da ureia agrícola em São Paulo desde janeiro de 2015.

Observe que, historicamente, existe uma pressão de baixa sobre as cotações no segundo semestre (menor demanda), frente à primeira metade do ano, com quedas mais fortes no último trimestre, quando os estoques nas indústrias colaboram para um cenário mais frouxo de preços no mercado interno.

Figura 2.
Preço médio da ureia agrícola em São Paulo, em R$ por tonelada, sem o frete.

mercado de fertilizantes
Fonte: Scot Consultoria

Quando analisamos a situação para o pecuarista, temos um cenário favorável para a compra de adubos para as pastagens em 2020.

Apesar das altas cotações dos fertilizantes no mercado brasileiro em 2020, puxadas pela valorização do dólar, o patamar mais alto de preços da arroba do boi gordo melhorou a relação de troca com esses insumos, .

Segundo dados da Scot Consultoria, no caso da ureia agrícola, em julho de 2020 foram necessárias 8,3 arrobas de boi gordo para a compra de uma tonelada do adubo em São Paulo.

Para uma comparação, em julho de 2019, essa relação era de 10,8 arrobas de boi gordo por tonelada de ureia. Ou seja, houve uma melhoria de 22,8% no poder de compra do pecuarista este ano.

Leia também: Nitrogênio na adubação de pastagens no período das águas

Pontos de atenção

A expectativa é de que os preços dos fertilizantes se mantenham firmes em curto prazo diante da demanda maior para atender a semeadura dos grãos e do câmbio mais sustentado.

Passado esse período, a partir de setembro/outubro, a expectativa é de uma menor movimentação no mercado de fertilizantes no Brasil, o que pode trazer oportunidades de preços para o pecuarista adquirir os adubos para as pastagens.

Além disso, as relações de trocas (boi gordo versus adubos) estão mais favoráveis, com ganhos no poder de compra do pecuarista em relação ao ano passado.

Autor: Rafael Ribeiro – zootecnista, msc

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*