Chuvas favoreceram semeadura dos grãos e pastagens

A expectativa é de que as precipitações continuem mais bem distribuídas e em maiores volumes em curto prazo.

clima agro 

As chuvas previstas para a segunda metade de outubro se confirmaram.

Em boa parte do Brasil Central e do Centro-Sul, choveu entre 50 e 75 milímetros entre os dias 9 e 23 de outubro.

Destacamos algumas áreas de Mato Grosso, Sudoeste de Goiás e Nordeste de Mato Grosso do Sul, além de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que registraram até 100-125 milímetros nesse mesmo período.

Entretanto, observe, na figura 1, que a situação de preocupação com a falta de chuvas persiste em alguns municípios de Goiás, Tocantins, Minas Gerais, São Paulo e Oeste de Mato Grosso do Sul.

Figura 1
Volume de chuvas no Brasil entre os dias 9/10 e 23/10, em milímetros.

clima agro

Fonte: INMET

Situação da safra de grãos e das pastagens

Com as chuvas mais regulares e a melhoria da umidade do solo, o ritmo da semeadura da safra brasileira de grãos aumentou nas últimas semanas, diminuindo, em parte, os atrasos.

No Paraná, o plantio do milho de primeira safra atingiu 88% da área prevista, frente aos 90% nesse mesmo período da safra passada. No caso da soja, 45% da área foi semeada até o dia 21/10, frente aos 59% semeados até então no ciclo anterior, segundo informações do Departamento de Economia Rural (DERAL).

É importante lembrar que, no estado, os atrasos na semeadura chegaram a mais de 20 pontos percentuais, em comparação à safra passada.

As condições das lavouras paranaenses (2019/2020) estão favoráveis, mas em pior situação que em igual momento de 2018/2019. Estima-se que 88% das lavouras de milho e 72% das lavouras de soja estejam em boas condições, frente a 98% das lavouras de soja e milho em boas condições nesse mesmo momento do ciclo passado.

Em Mato Grosso, até o dia 18/10, a semeadura da soja atingiu 41,8% da área prevista, frente aos 50,9% semeados no mesmo período da temporada anterior. As informações são do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA). No estado, os trabalhos avançaram melhor nos últimos dias com as precipitações mais bem distribuídas.

Com relação às pastagens, a expectativa é de que a oferta de capim comece a melhorar daqui para frente nas principais regiões pecuárias. Em algumas propriedades, as pastagens já começaram a rebrotar, mas o pleno vigor do capim é esperado em até 15-20 dias, considerando a regularização.

Chuvas para novembro, dezembro e janeiro/2020

Depois dos atrasos nesse início da estação chuvosa, a expectativa é de uma situação melhor no trimestre que compreende novembro e dezembro deste ano e janeiro de 2020.

Observe na figura 2, que em boa parte do Brasil Central e do Centro-Sul os volumes previstos de chuvas deverão ficar acima da média histórica para o período em questão, com volumes entre 10 e 50 milímetros acima.

Figura 2.
Previsão de anomalias de chuvas no trimestre novembro/2019, dezembro/2019 e janeiro/2020, em milímetros.

Fonte: INMET

Com isso, as lavouras de grãos e as pastagens deverão ser beneficiadas nos próximos meses, caso a previsão se consolide.

Toda segunda-feira um novo boletim climatológico é publicado às 6h. Não deixe de acompanhar!

 

Clique e leia a matéria completa