Com as chuvas, diminuíram os atrasos na semeadura dos grãos

Condições das pastagens também melhoraram, mas algumas áreas ainda sofrem com a estiagem ou chuvas irregulares.

 

 

No acumulado dos últimos dez dias, choveu entre 50 e 100 milímetros em boa parte do Brasil Central e do Centro-Sul do país.

No Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, as precipitações chegaram a 125-200 milímetros em algumas áreasnesse mesmo período, conforme apresentamos na figura 1.

Figura 1
Volume de chuvas acumulado no Brasil nos últimos 10 dias (28/10 a 6/11), em milímetros.

chuva pasto

Fonte: CPTEC / INMET

Com as chuvas e melhoria das condições de manejo do solo, os trabalhos no campo avançaram em um ritmo mais rápido nas últimas semanas de outubro e começo de novembro, diminuindo, em parte, os atrasos verificados até então no plantio da safra de grãos 2019/2020 (safra de verão).

A situação das pastagens também está melhorando nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, comparativamente com a situação há um mês.

Na figura 2 está o mapa de condições de manejo do solo para um período de 48 horas a partir do dia 7/11. Observe que, na maior parte do país, a situação está razoável para o manejo, o que mantém a atenção voltada para a evolução dos trabalhos nesta reta final do plantio.

Figura 2
Condições para manejo do solo em 48 horas a partir de 7/11/2019.

Fonte: Agritempo

Até o dia 1 de novembro, o Mato Grosso semeou 81,6% da área prevista com soja, frente aos 88,8% semeados em igual momento da safra passada.

No Paraná, 96% da área de milho de primeira safra (2019/2020) foi semeada até então, frente aos 97% no ciclo anterior. No caso da soja, 79% da área foi semeada frente aos 76% na temporada passada.

No Rio Grande do Sul, até a primeira semana de novembro, o plantio da soja atingiu 18% da área estimada para 2019/2020, frente aos 19% semeados no mesmo período do ciclo passado.

Atenção!

Apesar de as chuvas terem sido mais bem distribuídas e em volumes maiores desde meados de outubro, houve déficit em relação à média histórica (normal climatológica).

Na figura 3 estão os mapas de anomalias de chuvas em outubro/2019 e novembro/2019 (até o dia 7/11).

Observe que em outubro, com exceção da região Norte, do Mato Grosso, do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, nos demais estados as precipitações variaram de 50 a 100 milímetros abaixo da média.

Em novembro, até então, verificou-se uma situação melhor de chuvas também em parte de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

Figura 3
Anomalias de chuvas no Brasil em outubro/2019 e novembro/2019 (até o dia 7), em milímetros.

Fonte: CPTEC / INMET

Previsões para a semana

Para o restante da primeira quinzena de novembro, estão previstas chuvas em maiores volumes no Centro-Sul do país.

Em Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo poderá chover até 100-150 milímetros no acumulado entre os dias 8 e 16 de novembro.

Em Mato Grosso, Goiás e nos estados da região Norte, o volume previsto varia entre 50 e 100 milímetros, enquanto no Nordeste brasileiro não deverá chover nesse período. Veja a figura 4.

Figura 4
Previsão de chuvas no Brasil entre os dias 8 e 16 de novembro de 2019, em milímetros. 

Fonte: USDA

Para os próximos dias, a previsão é de que as temperaturas médias se mantenham elevadas no país, em especial no Brasil Central e região Nordeste (figura 5).

Figura 5
Previsão de temperaturas médias no Brasil entre os dias 8 e 16 novembro de 2019, em milímetros.

Fonte: IGES / COLA

Toda segunda-feira um novo boletim climatológico é publicado às 6h. Não deixe de acompanhar!

Clique e leia a matéria completa