Em uma quinzena, choveu mais do que o previsto para todo o mês!

Essa foi a situação em alguns municípios de Goiás e da região Sudeste, e a previsão é de que os volumes continuem acima da média histórica em março.

pecuaria previsao tempo

Choveu forte na primeira quinzena de fevereiro nas regiões Norte, Centro-Oeste e Sudeste do país, além do Oeste do Maranhão e Oeste da Bahia.

Observe na figura 1, que em alguns municípios de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e Goiás, os volumes chegaram a 300-350 milímetros no acumulado até o dia 13, ou seja, acima do volume de chuvas previsto para todo o mês de fevereiro.

Figura 1
Volume de chuvas no Brasil em fevereiro de 2020 (até o dia 13) e normal climatológica para o mês de fevereiro, em milímetros.

previsao chuva pecuaria

Fonte: INMET/CPTEC

As precipitações têm beneficiado as condições das pastagens no Brasil Central e no Centro-Sul, fato que permite ao pecuarista reter o gado engordando nos pastos a custos menores. Essa oferta mais comedida de boiadas para abate, inclusive, deu sustentação aos preços da arroba do boi gordo nas principais praças pecuárias na primeira metade de fevereiro, depois da pressão de baixa verificada ao longo de janeiro último.

Por outro lado, as chuvas em grandes volumes e ininterruptas que ocorreram em alguns municípios prejudicaram as condições das estradas e, consequentemente, o transporte do gado e a coleta do leite, por exemplo.

Outro ponto de preocupação é com relação ao excesso de umidade do solo e dificuldade de entrada das máquinas para a colheita da safra de verão e para a semeadura da segunda safra.

Caso essa situação persista, o atraso na colheita da soja (safra de verão), por exemplo, pode estreitar a janela de plantio do milho de segunda safra (safra de inverno), o que aumenta os riscos climáticos e de perdas na produtividade das lavouras.

No Paraná, até o dia 10 de fevereiro, 10% da área de soja (2019/2020) foi colhida, frente aos 33% colhidos nesse mesmo período da safra passada, segundo o Departamento de Economia Rural (Deral).

Em Mato Grosso, a colheita da soja atingiu 44,5% da área semeada neste ciclo, frente aos 53,2% colhidos até então na safra anterior (2018/2019).

Com relação ao milho na segunda safra, estes são os principais estados produtores. A semeadura está no início no Paraná e, em Mato Grosso, atingiu 38,9% da área prevista nesta temporada, frente aos 52,2% semeados até este momento na safra passada.

Apesar dos trabalhos em um ritmo mais lento, comparativamente com o ciclo anterior, em relação à média dos últimos cinco anos, a situação não está tão ruim assim. A questão é que, se as chuvas seguirem constantes e em grandes volumes, essa situação poderá se agravar.

Previsão de chuvas

Para o curto prazo, a previsão é de que as chuvas continuem no Brasil Central, estendendo-se para as regiões Norte e Nordeste do país. No Sudeste, os maiores volumes estão previstos para Espírito Santo e Rio de Janeiro, além do Leste de Minas Gerais. Nessas regiões, poderá chover até 100-150 milímetros entre os dias 14 e 22 de fevereiro.

Já em São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul, deverá continuar chovendo nos próximos dias, mas os volumes deverão ser menores em relação às semanas anteriores (entre 50 e 100 milímetros até o dia 22).

A expectativa é que chova também no Rio Grande do Sul, que vem sofrendo com a estiagem desde o início deste ano. Veja a figura 2.

Figura 2
Previsão de chuvas no Brasil entre os dias 14 e 22 de fevereiro de 2020, em milímetros. 

previsao chuva pecuaria

Fonte: USDA

Para a última semana de fevereiro, as previsões apontam para chuvas fortes e concentradas na metade Norte do país. Os volumes poderão chegar até 200-250 milímetros no acumulado entre os dias 22 de fevereiro e 10 de março (figura 3).

Figura 3
Previsão de chuvas no Brasil entre os dias 22 de fevereiro e 10 de março de 2020, em milímetros. 

previsao chuva pecuaria

Fonte: USDA

Médio e longo prazo

Quando analisamos as expectativas para os próximos meses  (trimestre março, abril e maio), a previsão é de chuvas acima da média histórica nas áreas em azul na figura 4, que inclui importantes regiões pecuárias.

Figura 4
Anomalia (desvio) de chuvas no Brasil no trimestre março, abril e maio de 2020, em milímetros.

previsao chuva pecuaria

Fonte: INMET/CPTEC

Essa situação de chuvas em médio e longo prazo é benéfica às pastagens e ao desenvolvimento das lavouras de segunda safra.

Por outro lado, a situação é de alerta no Sul da Bahia, Norte de Goiás, Norte de Minas e boa parte da região Nordeste.

Toda segunda-feira um novo boletim climatológico é publicado às 6h. Não deixe de acompanhar! 

Clique e leia a matéria completa