Enfim, chuvas no Centro-Oeste!

As chuvas no Centro-Oeste foram irregulares (mal distribuídas) e em volume pequenos, o que mantém a atenção com relação à semeadura da safra 2019/2020 e condições das pastagens.

boletim climatológico agropecuária

As precipitações chegaram à região Centro-Oeste do país.

Em boa parte de Mato Grosso, além do Noroeste de Mato Grosso do Sul e Sudoeste de Goiás, onde não chovia há mais de 100 dias, foram registrados volumes de até 25-50 milímetros no acumulado até o dia 26.

Observe na figura 1 que, nessas localidades, as chuvas ocorreram basicamente na segunda metade de setembro e, por ora, o volume foi pequeno, mantendo a atenção com relação ao avanço da semeadura da safra de grãos de verão (2019/2020) e condições das pastagens.

Figura 1
Volume de chuvas no Brasil em setembro de 2019 (até o dia 19 e até o dia 26), em milímetros.

Previsão do tempo agropecuária

Fonte: INMET

Aliás, comparativamente com a normal climatológica (média histórica), as chuvas estão abaixo da média para o mês de setembro em boa parte do país.

As exceções são algumas áreas isoladas nas regiões Norte e Sul e em São Paulo, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Veja a figura 2.

Figura 2
Anomalias (desvios) de chuvas no Brasil em setembro de 2019 (até o dia 26), em milímetros.

previsão do tempo agropecuária

Fonte: INMET

Semeadura do ciclo 2019/2020

Até 23 de setembro, 39% da área prevista semeada com milho na primeira safra 2019/2020 foi semeada no Paraná, segundo o Departamento de Economia Rural (DERAL).

A expectativa é de redução de 6,4% na área em relação à safra passada. Já a área semeada com soja deverá crescer 0,6% no estado, e a semeadura atingiu 3%.

No Rio Grande do Sul, até a última semana deste mês, a semeadura do milho de verão atingiu 43% da área prevista para este ciclo, que deverá crescer 1% frente à área semeada em 2018/2019 (Emater).

A boa umidade do solo favoreceu o avanço dos trabalhos no campo nos estados do Sul.

Já no Centro-Oeste, o cenário foi diferente, com muitos agricultores ainda aguardando as chuvas mais regulares para iniciarem a semeadura.

Com isso, o ritmo dos trabalhos, por exemplo, em Mato Grosso, está atrasado comparativamente com a safra anterior, quando a retomada das chuvas teve início mais cedo, dentro da normalidade no estado.

De acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), até o dia 20 de setembro, 0,3% da área prevista com soja na temporada atual foi semeada. No mesmo período do ciclo passado, esse índice foi de 0,9%.

A expectativa é de que a área com soja cresça 0,6% em 2019/2020 no estado, em relação à safra que se encerrou.

Um possível atraso no plantio da safra de verão poderá impactar na janela de plantio do milho de segunda safra, aumentando os riscos de menor produtividade das lavouras nesta temporada.

Previsão de chuvas

Observe, na figura 3, que até a primeira semana de outubro estão previstas chuvas no norte de Mato Grosso, mas em volumes pequenos (30-50 milímetros) e ainda mal distribuídas.

Deverá continuar chovendo também nos estados das regiões Norte e Sul do país, com as precipitações avançando até o sul de São Paulo e sul de Mato Grosso do Sul.

O cenário não deverá mudar muito entre os dias 5 e 13 de outubro, com chuvas concentradas no extremo Norte do país, além de algumas áreas na região Sul.

Na região Nordeste, até o final da primeira quinzena de outubro, estão previstas chuvas apenas no litoral da Bahia e em uma pequena faixa em direção ao interior do estado.

Figura 3
Previsão de chuvas entre os dias 27 de setembro e 5 de outubro (1) e 5 a 13 de outubro de 2019 (2), em milímetros.

previsão do tempo agropecuária

Fonte: USDA


Toda segunda-feira um novo boletim climatológico é publicado às 6h. Não deixe de acompanhar! 

 

 

Clique e leia a matéria completa