Estiagem no Centro Sul do país

Em alguns municípios do RS, SC, PR, SP e MS ainda não choveu em março. Essa situação já afeta as condições das lavouras e das pastagens.

previsão chuva pecuaria

A figura 1 mostra bem como foram as chuvas na primeira quinzena de março no país. Observe que os maiores volumes ocorreram na “metade Norte” do Brasil, que abrange boa parte dos estados acima de Mato Grosso do Sul e de São Paulo.

Em alguns municípios de Rondônia, Amazonas, Pará, Oeste do Maranhão, Piauí, Mato Grosso, Goiás, Norte de Minas, além do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, os volumes chegaram a 300-350 milímetros no acumulado até o dia 12 deste mês.

Figura 1
Volume de chuvas no Brasil no acumulado de março de 2020 (até o dia 12), em milímetros.

previsão chuva pecuaria

Fonte: CPTEC

Por outro lado, em algumas cidades da região Sul do país, além de Mato Grosso do Sul e de São Paulo, não choveu em março. Nos locais em que choveu, o volume não ultrapassou os 25 milímetros no período analisado.

Situação das lavouras e pastagens

Diante da falta de chuvas, as expectativas com relação às produtividades médias das lavouras (safra 2019/2020), principalmente no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul, poderão ser revisadas para baixo.

O país está colhendo a safra de verão e semeando a segunda safra ou safra de inverno.

No relatório divulgado em março, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), os rendimentos esperados para o milho de verão e de inverno foram reduzidos em relação às estimativas apresentadas em fevereiro, em 0,3% e 0,6% respectivamente.

Também houve redução das produtividades médias das lavouras de arroz e feijão nesta temporada (2019/2020) frente às expectativas anteriores para o ciclo atual.

No caso das pastagens, a situação está ruim nos três estados do Sul do país, especialmente no Rio Grande do Sul, fato que já afeta a oferta de animais para abate (perda de capacidade de suporte e pressão de venda da boiada) e também a produção de leite no estado.

Por outro lado, no Brasil Central e nas regiões Norte e Sudeste as condições das pastagens estão boas, o que permite que o pecuarista negocie com mais calma a boiada para abate enquanto os animais ganham peso no pasto.

Na figura 2, apresentamos o mapa de estiagem, com destaque para as áreas em vermelho e amarelo, onde não chove há mais de 10-15 dias.

Figura 2
Mapa de estiagem no Brasil em março de 2020 (até o dia 12), em número de dias consecutivos sem chuvas.

previsão chuva pecuaria

Fonte: Agritempo

Previsões

Entre os dias 13 e 21 de março, a previsão é de que as chuvas continuem em maiores volumes nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. Os volumes previstos variam de 90 a 150 milímetros no período, dependendo da região.

Também deverá chover, mas em menores volumes, de até 60-70 milímetros, em São Paulo, Minas Gerais e litoral da região Sudeste.

Para o Sul do país, as previsões apontam para falta de chuvas até o final de março, o que mantém a preocupação em relação às produções agrícolas e pecuárias nas áreas afetadas pela seca severa. Veja as figuras 3 e 4.

Figura 3
Previsão de chuvas entre os dias 13 e 21 março de 2020, em milímetros.

previsão chuva pecuaria

Fonte: USDA

Figura 4
Previsão de chuvas entre os dias 21 e 29 de março de 2020, em milímetros.

previsão chuva pecuaria

Fonte: USDA

Toda segunda-feira um novo boletim climatológico é publicado às 6h. Não deixe de acompanhar! 

Clique e leia a matéria completa