Panorama e expectativas de chuvas em junho

Em algumas localidades no Brasil Central, não chove há mais de trinta dias. A previsão é de que as precipitações sigam em menores volumes nos próximos meses.

O mês de junho começou, e o período mais seco do ano vai mostrando “as caras”.

Observe, na figura 1, que em uma grande área do Brasil Central, que se estende até a Região Nordeste, até o Norte da Região Sudeste e até o Norte de Mato Grosso do Sul, não choveu nesse início de mês.

Por outro lado, destacamos as chuvas tardias em São Paulo, Sul de Minas Gerais e Sul de Mato Grosso do Sul.

Figura 1
Volume de chuvas no Brasil em junho (até o dia 6), em milímetros.

Fonte: INMET | CPTEC

Em alguns municípios do Centro-Oeste, Norte de Minas, Norte de Mato Grosso do Sul e Sul da Bahia não chove há mais de trinta dias. Veja a figura 2.

Nessas áreas, as condições das pastagens pioraram bastante desde maio, em função do período de menor precipitação, das quedas nas temperaturas e da menor luminosidade (dias mais curtos). Com isso, a oferta de gado para abate aumentou nas últimas semanas, colaborando com a pressão de baixa sobre as cotações da arroba do boi gordo.

Figura 2
Número de dias consecutivos sem chuvas no Brasil.

Fonte: INMET | CPTEC

Previsão para o final da primeira quinzena

Entre os dias 7 e 15 de junho, a previsão é de chuvas apenas nas regiões Norte e Sul do país. Ou seja, um cenário não muito diferente do verificado até então.

Figura 3
Previsão de chuvas no Brasil entre os dias 7 e 15 de junho de 2019, em milímetros.

Fonte: USDA

Além das chuvas em menores volumes, as temperaturas deverão seguir caindo no país, principalmente no Brasil Central e Centro-Sul.

No Sul, as mínimas, que foram de 14ºC – 16ºC em abril, caíram para 10ºC – 12ºC em maio e depois para 8ºC – 10ºC nas primeiras semanas de junho.


Toda segunda-feira um novo boletim climatológico é publicado às 6h. Não deixe de acompanhar!

 

Clique e leia a matéria completa