Fortes chuvas no Espírito Santo, Rio de Janeiro e leste de Minas

Situação mantém estado de alerta nesses estados.

previsao tempo pecuaria

Nos últimos sete dias, choveu forte nos estados da região Norte do país e em uma faixa que vai do Espírito Santo e Norte do Rio de Janeiro até o Noroeste de Minas Gerais. Veja a figura 1.

Figura 1.
Volume de chuvas acumulado no Brasil em novembro/19 nos últimos sete dias (14/11 a 20/11), em milímetros.

Fonte: Cptec / Inmet

No Espírito Santo e no leste de Minas Gerias, o volume de chuvas no acumulado até o dia 21 de novembro foi o dobro da média histórica para o mês.

Alguns municípios declararam estado de emergência, e a situação das estradas está complicada em alguns trechos, o que prejudica, por exemplo, a coleta do leite nas propriedades e o transporte até a indústria.

Figura 2.
Volume de chuvas acumulado no Brasil em novembro/19 (até o dia 21), em milímetros.

Fonte: Cptec / Inmet

No Sul do país, a situação climática diverge um pouco, conforme a localização. Por exemplo, no Paraná, foram verificados bons volumes de chuvas na região Central e Norte do estado, mas o oeste paranaense ainda sofre com a falta de chuvas em alguns municípios.

Em alguns municípios onde a soja e o milho de verão (primeira safra) já foram semeados, não chove há mais de dez dias e será necessário o replantio, devido à falta de umidade no solo.

No Rio Grande do Sul, as precipitações em grandes volumes em meados deste mês reduziram o ritmo dos trabalhos de semeadura da safra de grãos 2019/2020. Com isso, o plantio está atrasado no estado.

Até o dia 21/11, 53% da área de soja foram semeados, frente aos 63% no mesmo período do ciclo passado. No caso do milho de primeira safra, até então, foram semeados 84% da área prevista, frente aos 86% em igual momento da safra anterior (Emater).

Na figura 3, apresentamos a disponibilidade de água no solo no país entre os dias 17 e 21 de novembro. Destacamos a situação melhor de umidade no Centro-Sul, especialmente, na faixa litorânea das regiões Sul e Sudeste.

Entretanto, a atenção contínua no oeste de Mato Grosso do Sul, sul de Mato Grosso, norte de Minas, além de parte de Goiás e Tocantins, onde a disponibilidade de água no solo é baixa, devido às precipitações em menores volumes e, até então, mal distribuídas.

Figura 3.
Disponibilidade de água no solo entre os dias 17 e 21 de novembro de 2019, em milímetros.

Fonte: Agritempo

Para a última semana de novembro, a previsão é de chuvas em boa parte do Brasil-Central e em uma faixa que se estende até o litoral da região Sudeste (figura 4).

Figura 4.
Previsão de chuvas no Brasil entre os dias 22 e 30 de novembro de 2019, em milímetros. 

Fonte: USDA

Os volumes acumulados entre os dias 22 e 30 de novembro poderão chegar a 100-150 milímetros e, com isso, estão mantidos os alertas de possibilidade de danos e prejuízos em decorrência do clima na faixa amarela, que vai do leste de Mato Grosso até o litoral da região Sudeste. Veja a figura 5.

Figura 5.
Situação de aviso no país com relação às fortes chuvas no período de 48 horas a partir de 21/11/19.

Fonte: Inmet

Toda segunda-feira um novo boletim climatológico é publicado às 6h. Não deixe de acompanhar!

Clique e leia a matéria completa