Início da semeadura da safra 2019/20 na região Sul

Chuvas nas últimas semanas melhoraram as condições de manejo do solo.

previsão do tempo pecuária

Na primeira quinzena de setembro, choveu na região Norte do país, nos estados do Centro-Sul e na faixa litorânea que vai do Rio de Janeiro até o Rio Grande do Norte.

Os maiores volumes ocorreram no Amazonas e no Rio Grande do Sul, onde choveu até 150 milímetros no acumulado até o dia 12.

Em São Paulo, no Paraná e no Sul de Minas as precipitações totalizaram 100 milímetros em algumas áreas nesse mesmo período, conforme a figura 1.

Figura 1
Volume de chuvas no Brasil em setembro/2019 (até o dia 12), em milímetros.

Fonte: INMET

Observe na figura 2 que, com as chuvas nas últimas semanas, as condições para manejo do solo melhoraram nos estados do Centro-Sul do país.

No Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a situação está favorável. No Paraná, a condição para manejo do solo vai de razoável a favorável, dependendo da região.

A situação para manejo do solo está melhor também no Sul do Mato Grosso do Sul e partes de São Paulo e Minas Gerais, que registraram chuvas na primeira metade de setembro.

Figura 2
Condições para manejo do solo em 48h após o dia 12 de setembro de 2019.

Fonte: Agritempo

Diante disso, os plantios de batata (primeira safra), feijão e milho de verão da safra 2019/2020 tiveram início no Paraná.

Até o dia 9 de setembro, 68% da área prevista com batata (primeira safra) neste novo ciclo foi semeada. Com relação ao feijão e ao milho de primeira safra, a semeadura atingiu 12% e 9% das áreas esperada no estado, respectivamente, segundo o Departamento de Economia Rural (DERAL).

Com relação à soja, o vazio sanitário terminou no dia 10 de setembro no Paraná, mas os trabalhos não começaram.

A expectativa para os estados do Sul e Sudeste é de que a semeadura da safra de grãos 2019/2020 ganhe força nesta segunda quinzena de setembro ao passo que, no Centro-Oeste, os trabalhos devem se intensificar mais para outubro, em função dos atrasos previstos na retomada das chuvas em estados como Mato Grosso e Tocantins, por exemplo.

Na figura 3, apresentamos as previsões de anomalias de chuvas (desvios em relação à média histórica) no trimestre setembro, outubro e novembro de 2019. Destacamos as regiões em amarelo e bege, em que a previsão é de déficit nas chuvas no período em questão.

Figura 3
Previsão de anomalias de chuvas no Brasil em setembro, outubro e novembro de 2019, em milímetros.

Fonte: Agritempo

É importante lembrar que os estados do Sul do país ainda estão colhendo as culturas de inverno (2018/2019), especialmente o trigo.

Previsões de chuvas

Para os próximos dias, a previsão é de chuvas mais fortes somente nos extremos das regiões Norte e Sul do país, que poderão receber até 50-60 milímetros no acumulado entre os dias 13 e 21 de setembro.

Também deverá chover em partes de Rondônia, Acre, Pará, Amapá e na faixa litorânea, que vai da região Sul até o Nordeste, mas os volumes não deverão ultrapassar os 15-20 milímetros no período.

Nas demais áreas do Brasil, não estão previstas chuvas até o dia 21 de setembro, conforme apresentamos na figura 4.

Figura 4
Previsão de chuvas no Brasil entre os dias 13 e 21 de setembro de 2019, em milímetros.

Fonte: USDA

Com relação às pastagens, a situação ainda é de capim seco em boa parte das regiões pecuárias no Brasil Central e Centro-Sul.

A expectativa é de melhoria da qualidade e maior oferta de forragem a partir do final de setembro nas regiões em que já choveu e, mais para outubro, nas áreas onde as chuvas estão mais atrasadas.

Nos estados do Sul, as pastagens de inverno deram lugar aos preparativos para a semeadura da safra de grãos 2019/2020.


Toda segunda-feira um novo boletim climatológico é publicado às 6h. Não deixe de acompanhar! 

Clique e leia a matéria completa