Previsão de chuvas mais regulares em novembro

De qualquer forma, os volumes maiores são esperados a partir de meados deste mês.

chuva agropecuaria

Em curto prazo, as precipitações deverão seguir mais concentradas nos extremos do Brasil.

Até o dia 9 de novembro, estão previstas chuvas de 50 a 100 milímetros nas regiões Norte, Sul e também em uma faixa que se estende até o Norte e o Leste da região Sudeste.

Também deverá seguir chovendo em Mato Grosso, no caso, entre 30 e 60 milímetros em igual período, conforme apresentado na figura 1.

Figura 1
Previsão de chuvas no Brasil entre os dias 1º e 9 de novembro de 2019, em milímetros

Fonte: USDA

Para meados de novembro, estão previstas chuvas mais bem distribuídas pelo país, sendo que a exceção deverá ser a região Nordeste, que deverá seguir praticamente sem chuvas neste mês que está iniciando.

Em Mato Grosso do Sul, São Paulo e Minas Gerais, poderá chover até 100-150 milímetros entre os dias 9 e 17 de novembro, conforme figura 2.

Figura 2
Previsão de chuvas no Brasil entre os dias 9 e 17 de novembro de 2019, em milímetros.

chuva agropecuária

Fonte: IGES / COLA

Depois dos atrasos verificados no início da estação chuvosa, a expectativa é de uma situação melhor neste último bimestre e começo de 2020.

Com isso, a expectativa é de que as pastagens em melhores condições impactem diretamente na produção de leite nas bacias do Brasil Central e Centro-Sul, cujos incrementos na produção deverão ser maiores daqui para frente nessas regiões.

Com relação à pecuária de corte, a expectativa é de que a boiada de pasto comece a “chegar ao mercado” com mais força só a partir de meados de dezembro de 2019ou começo de 2020, o que deverá manter os preços da arroba firmes .

De qualquer forma, chamamos a atenção para a situação prevista de déficit no Norte de Goiás, Tocantins, Acre, Pará, Leste e Norte de Minas Gerais, Espírito Santo e região Nordeste.

Clima e evolução do plantio

O clima mais favorável (chuvas mais bem distribuídas e em maiores volumes) em outubro permitiu o avanço da semeadura da safra de grãos em um ritmo melhor ao longo do mês que se encerrou, tirando, em parte, os atrasos verificados.

No Paraná, até o dia 28 de outubro, 92% da área prevista com milho na primeira safra 2019/2020 foi semeada, segundo o Departamento de Economia Rural (DERAL).  Nesse mesmo período da safra passada, 94% da área de milho de verão havia sido semeada.

A expectativa é de redução de 6,1% na área de milho de primeira safra em relação ao ciclo passado, e a produtividade deverá ser 4,9% maior. Com isso, a produção deverá diminuir 1,5% no estado na safra atual.

Já a área com soja deverá crescer 0,7% no Paraná, e a produtividade média deverá aumentar 21,7% em 2019/2020, em relação ao período de 2018/2019. Com isso, a produção deverá crescer 22,6% no estado neste ciclo, em comparação ao que foi colhido anteriormente.

A semeadura da soja atingiu 65% da área estimada no estado, mesmo patamar verificado no mesmo período da safra.

No Rio Grande do Sul, até o final de outubro, a semeadura da soja atingiu 13% da área esperada para essa safra, frente aos 10% plantados no mesmo período do ciclo anterior (Emater).

No caso do milho, os trabalhos estão mais adiantados, sendo que 77% da área foi semeada até o final de outubro, frente aos 67% semeados no final de outubro de 2018.

No Centro-Oeste, o ritmo do plantio também melhorou com o clima mais favorável. De acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), até o dia 25 de outubro, 64,5% da área prevista com soja em Mato Grosso na temporada atual foi semeada, frente aos 73,2% no mesmo período do ciclo passado.

Essa diferença na evolução do plantio no estado já foi de mais de quinze pontos percentuais.

A expectativa é de que a área com soja cresça 1,1% em Mato Grosso em 2019/2020, e a produtividade deverá aumentar 0,4% em relação à safra que se encerrou. Com isso, a produção mato-grossense deverá crescer 1,6% na temporada atual.

Um possível atraso no plantio da safra de verão poderá impactar na janela de plantio do milho de segunda safra, aumentando os riscos de menor produtividade das lavouras nesta temporada.

Toda segunda-feira um novo boletim climatológico é publicado às 6h. Não deixe de acompanhar!

Clique e leia a matéria completa