Previsão de chuvas para o restante do mês

Volumes podem fechar acima da média para o acumulado do mês.

Choveu forte na primeira quinzena de dezembro em uma faixa que vai da região Norte do país, passando pelo Brasil Central até o Centro-Sul.

Destacamos os estados do Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Paraná, onde choveu entre 150 e 200 milímetros no acumulado até o dia 12.

Na região Central de Minas e no Sudeste do Amazonas, as precipitações ultrapassaram os 250-300 milímetros no período analisado, conforme é apresentado na figura 1.

Figura 1
Volume de chuvas acumulado no Brasil em dezembro/2019 (até o dia 12) e normal climatológica (média histórica) para o mês, em milímetros.

Fonte: CPTEC / INMET

Na figura 2 está o mapa de chuvas com a normal climatológica para dezembro, que nada mais é do que o volume médio histórico para o mês.

É importante observar que as chuvas têm acompanhando o padrão/comportamento normal para o período, com volumes acima da média em algumas localidades. Ou seja, depois dos atrasos e precipitações mal distribuídas em setembro/outubro até meados de novembro, a situação está mais dentro da normalidade neste mês.

Figura 2
Chuvas: Normal climatológica (média histórica) para o mês de dezembro, em milímetros.

Fonte: CPTEC / INMET

De qualquer forma, os agricultores e agentes de mercado seguem atentos ao clima e ao desenvolvimento da safra de grãos (safra de verão ou primeira safra) no país.

A preocupação é com relação aos atrasos verificados no início da semeadura, que podem encurtar a janela de plantio do milho ou cultura de segunda safra (safra de inverno).

Em alguns casos, os trabalhos no campo (semeadura da safra de verão) atrasaram em até 30-40 dias, o que aumenta os riscos com relação ao clima mais seco durante o período de desenvolvimento da segunda safra, a partir de abril, no Centro-Oeste e Sudeste, principalmente.

Com relação às condições das pastagens, a situação está boa nas principais regiões pecuárias, com melhoria do vigor do capim e aumento da capacidade de suporte animal (lotação ou número de cabeças de bovinos por hectare). A exceção são os estados da região Nordeste, onde as chuvas foram escassas.

Na figura 3 está o mapa de disponibilidade de água no solo, entre os dias 8 e 12 de dezembro, em alguns importantes estados de produção agrícola e pecuária.

Figura 3
Disponibilidade de água no solo. Média do período: 8 a 12 de dezembro de 2019.

Fonte: Agritempo

Restante de dezembro

As chuvas não deverão dar trégua até o final de dezembro.

Entre os dias 13 e 21, a previsão é de que chova nas regiões Norte, Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil.

No Nordeste, as precipitações deverão ocorrer somente na Bahia, Maranhão e parte do Piauí (figura 4).

Figura 4
Previsão de chuvas no Brasil entre os dias 13 e 21 de dezembro de 2019, em milímetros. 

Fonte: USDA

De acordo com a figura 5, para o final deste mês, as chuvas deverão ser mais homogêneas (bem distribuídas) pelo Brasil, inclusive com previsão de volumes entre 30 e 100 milímetros entre os dias 21 e 29 de dezembro.

Figura 5
Previsão de chuvas no Brasil entre os dias 21 e 29 de dezembro de 2019, em milímetros. 

Fonte: USDA

Toda segunda-feira um novo boletim climatológico é publicado às 6h. Não deixe de acompanhar!

Clique e leia a matéria completa