De olho na semeadura do milho de segunda safra e no clima

A semeadura do milho de inverno teve início no país, e as expectativas são mais positivas com relação às chuvas para curto e médio prazos, o que deverá beneficiar a produção de grãos.

Mato Grosso, principal produtor de milho de segunda safra, semeou 15,3% da área prevista com a cultura até o dia 25/1, segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA).

No Paraná, até o dia 28/1, a semeadura tinha atingido 30% da área esperada com a cultura, de acordo com o Departamento de Economia Rural (DERAL).

Tanto em Mato Grosso como no Paraná, os trabalhos estão adiantados em relação à safra passada, quando houve atraso na semeadura da safra de verão e, consequentemente, atrasos no plantio da segunda safra ou safra de inverno.

No caso dos sistemas de integração lavoura-pecuária (ILP), o capim também é semeado neste momento junto com o milho de segunda safra.

Dessa forma, as chuvas nos próximos meses têm papel importante no desenvolvimento das lavouras e na qualidade das pastagens.

Previsões

O clima nos próximos meses deverá ser mais favorável. Observe, na figura 1, que nos principais estados produtores de milho de segunda safra (boa parte do Paraná e região Centro-oeste do país), a previsão é de que as chuvas fiquem dentro da normalidade nos próximos três meses, com volumes de até 50 milímetros acima da média histórica para o período em questão.

Figura 1
Anomalias (desvios) de chuvas no Brasil no trimestre de fevereiro, março e abril de 2019, em milímetros.

Fonte: INMET

De qualquer forma, mantemos a atenção sobre Minas Gerais e Goiás, além de áreas isoladas no Oeste do Paraná, Nordeste de Mato Grosso do Sul e Norte de Mato Grosso, que poderão ter precipitações ligeiramente abaixo da normal climatológica nesses meses.

——–

Toda segunda-feira um novo boletim climatológico é publicado às 6h. Não deixe de acompanhar!

 

Clique e leia a matéria completa