Curso on-line e gratuito sobre recuperação de pastagens degradadas tem mais de 21 mil alunos em um ano

Para Fredson Ferreira Chaves, especialista da Embrapa Milho e Sorgo, número alto de inscritos prova a necessidade desse tipo de conteúdo para profissionais da área.

Há um ano, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Milho e Sorgo lançou o curso “Recuperação de Pastagens Degradadas” – que é on-line e gratuito. Desde abril de 2020, mais de 21 mil pessoas fizeram o curso, de acordo com a instituição. “O número de inscritos e a procura pelo curso de forma contínua, desde a sua primeira oferta, demonstraram, além da aceitação, o interesse e a necessidade de um conteúdo de qualidade capaz de viabilizar aos participantes uma modalidade de capacitação e uma estratégia de transferência de tecnologia”, afirmou o engenheiro agrônomo Fredson Ferreira Chaves, que atua no setor de Transferência de Tecnologia da Embrapa Milho e Sorgo, em Sete Lagoas (MG). 

Estratégia e planejamento

Os principais objetivos do curso, segundo Chaves, visam possibilitar que os participantes reconheçam os diferentes estágios de degradação das pastagens e diferenciem os processos de recuperação e renovação de pastagens para, assim, conseguirem propor estratégias planejadas e definidas a partir de critérios técnicos. 

Além disso, o curso também ensina os alunos a escolherem os melhores manejos e técnicas baseados na espécie forrageira. Dessa maneira, os participantes têm condições de interferir estrategicamente e com o planejamento adequado na recuperação, na renovação ou na reforma da pastagem, dependendo do grau da degradação, conforme explicou o especialista.

LEIA MAIS: Recuperação da pastagem: quando fazer?

Quem pode fazer o curso

Para participar do curso, não é necessário ter nenhum pré-requisito. Porém, Chaves pontua que o curso foi elaborado para agentes multiplicadores – como produtores rurais, técnicos, estudantes e profissionais que sejam atuantes no setor agropecuário.

“São pessoas que têm interesse no assunto de recuperação de pastagens e que, com a conclusão do curso, podem atuar de forma qualificada na recuperação de manejo das pastagens, para a obtenção de melhores resultados na atividade agropecuária”, disse. 

SAIBA MAIS: Manejo da pastagem e incentivo à pesquisa

Da teoria à prática

De acordo com o engenheiro agrônomo, os alunos que passam pelo curso desfrutam de um conteúdo de qualidade em um ambiente virtual de aprendizagem – o AVA Embrapa – amigável. 

“Conseguem, com a absorção do aprendizado, transformar os conhecimentos e as tecnologias repassadas no curso em ações práticas no desempenho de suas atividades na agropecuária e, principalmente, atuar de forma qualificada na recuperação de pastagens, intensificando o uso e o manejo adequados das pastagens, possibilitando uma maior produção de carne e de leite com a otimização de custos”, afirmou Chaves. 

Meio ambiente

O especialista ressaltou que essa intensificação evita a abertura de novas áreas, que são ocupadas por florestas nos biomas brasileiros. Ou seja, é uma prática sustentável. 

“A recuperação de pastagens e sua intensificação é um assunto de grande interesse e de alta relevância no cenário da produção agropecuária brasileira devido à necessidade de diminuir a emissão de gases de efeito estufa e baixo carbono e também por causa dos acordos internacionais referentes a esses temas”, disse.

LEIA MAIS: Pastagens recuperadas pelo Programa Agricultura de Baixo Carbono crescem 98% no segundo semestre de 2020

Capacitação on-line

A satisfação entre os participantes do curso virtual, segundo Chaves, chegou a um índice de 90% de aprovação: “Reforça o alcance e a capacidade dessa modalidade como estratégia relevante de transferência de tecnologias”.

Produzir qualquer curso on-line, conforme explicou o especialista da Embrapa Milho e Sorgo, exige conhecimento, equipe qualificada e ferramentas que transformem o conhecimento técnico em uma linguagem adequada a fim de proporcionar aos usuários um conteúdo de fácil entendimento e absorção. 

“A Embrapa une todos esses requisitos e tem uma equipe de profissionais altamente qualificada para produzir e oferecer ao público cursos on-line de qualidade”, disse Chaves. 

Fácil entendimento

A técnica em agropecuária e estudante de engenharia agronômica Nathalia Araújo fez o curso. “Depois dos conhecimentos adquiridos com o curso, foi possível diferenciar quando é necessário fazer uma recuperação mais severa ou não, podendo, dessa forma, escolher o manejo correto e viável para o custo-benefício do produtor”, disse.

Nathalia observou que o curso fornece informações de extrema importância e que, segundo ela, são deixadas de lado: “Como, por exemplo, a altura ideal da forragem”. 

Além disso, Nathalia relatou que o conteúdo ministrado é de fácil entendimento e pode ser usado no dia a dia dos profissionais do segmento e dos produtores.

SAIBA MAIS: Produção de pastagens: o potencial de diferentes sistemas

Como se inscrever?

Os interessados podem se inscrever no curso pelo site da Embrapa. Faça a sua inscrição!

O curso “Recuperação de Pastagens Degradadas” tem 15 horas de duração, e o aluno deve concluí-lo em 30 dias após a inscrição.

 

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*