O peso da compra dos animais no custo do confinamento

Chegar com um animal mais barato no confinamento pode ser a diferença entre o lucro e o prejuízo do sistema.

custo do confinamento

A compra do boi magro corresponde a aproximadamente 70% do custo total do confinamento. Dessa maneira, as movimentações das cotações dessa categoria são fatores de grande impacto no planejamento da terminação dos animais no cocho. 

Desde o início do segundo semestre de 2018, as cotações no mercado de reposição estão em alta. 

O boi magro valorizou 10,4% (em São Paulo, de julho de 2018 até março de 2019) e, no mesmo período, a arroba do boi gordo subiu em menor proporção (9,1%). Com isso, houve queda no poder de compra do terminador.

Diante desse cenário, em 2019, o investimento na compra dos animais para serem terminados em confinamento passa a ter maior peso dentro dos custos e influenciará na decisão de confinar ou não a boiada.

Além da compra direta, outra forma de obter o boi magro para a terminação em confinamento é comprar animais de categorias mais jovens, de maneira antecipada, e recriá-los até atingirem o peso de um boi magro.

Esse tipo de estratégia pode ser vantajosa ou não, variando ano a ano, de acordo com os custos de produção que envolvem o processo de recria, tais como preços do bezerro e insumos, custo com mão de obra, entre outros.

Até aqui, em 2019, o que foi mais vantajoso para o produtor: ter feito a recria do bezerro ou ter comprado o boi magro?

Para avaliar qual foi a decisão mais vantajosa para o produtor, fizemos uma simulação de uma recria – nos últimos doze meses, somando os custos de produção e da compra de um bezerro desmamado – e comparamos o resultado com o preço atual de um boi magro. A simulação levou em conta os preços e custos praticados em São Paulo.

Tabela 1. Estimativa de custo do boi magro, considerando a aquisição do bezerro em abril de 2018.

 Preço do bezerro*  R$ 1.160,00
 Custo da suplementação (12 meses)  R$ 130,00
 Preço total arrendamento + mão de obra (12 meses)

 R$ 360,00

(R$ 30,00/cabeça/mês)

 Sanidade (R$)  R$ 10,00
 Custo total  R$ 1.660,00

*Bezerro anelorado desmamado com 200 kg.
Fonte: Scot Consultoria

Em abril de 2018, segundo dados da Scot Consultoria, o bezerro de desmama, anelorado, estava cotado, em média, em R$ 1.160,00.

Somando a esse valor os custos com suplementação proteica, suplementação mineral e sanidade necessários para que o bovino ganhasse seis arrobas no período de doze meses e considerando que os custos fixos dessa operação foram iguais ao desembolso com arrendamento do pasto, em abril de 2019, o animal chegaria a 12 arrobas com um custo total de R$ 1,7 mil.

Até a finalização deste artigo (abril/2019), a cotação, em São Paulo, para o boi magro com doze arrobas, estava em R$ 2,06 mil, valor 20% acima do custo estimado para quem comprou o bezerro em 2018 e fez recria na propriedade.

Ou seja, quem comprou o bezerro no ano passado (2018) e fez a recria na propriedade nos últimos doze meses teve resultado positivo para a recria que entra no confinamento agora.  

E, para 2020, qual será a melhor opção?

Como as decisões para o ciclo de confinamento deste ano já foram tomadas e o produtor escolheu ou a recria no ano passado ou a compra do boi magro este ano, agora é o momento de já começar a planejar o ciclo de confinamento do próximo ano.

Se este ano quem recriou o bezerro na propriedade teve um custo menor do quem comprou boi magro no mercado, em 2020, o cenário não deve ser diferente, mesmo com o bezerro mais caro em 2019 em comparação com 2018. 

Isso porque as cotações do boi magro acompanham o preço do bezerro. Há alta correlação entre as duas categorias. Estamos entrando em um novo ciclo de alta e, em 2020, já deveremos ter esse ciclo estabelecido. Isso significa que as cotações do boi magro tendem a permanecer ganhando força até lá.

O pecuarista que comprar a bezerrada agora em 2019 para fazer a recria, mantendo os índices de ganho e o período utilizados na tabela 1, terá um custo aproximado de R$ 1,8 mil/cabeça em abril de 2020. Preço menor do que o pago por um boi magro em abril de 2019 (R$ 2.060,00).

Tabela 2. Estimativa de custo do boi magro, considerando a compra do bezerro em abril de 2019.

 Preço do bezerro*  R$ 1.280,00
 Custo da suplementação (12 meses)  R$ 130,00
 Preço total arrendamento + mão de obra (12 meses)

 R$ 360,00

(R$30,00/cabeça/mês)

 Sanidade (R$)  R$ 10,00
 Custo total  R$ 1.780,00

*Bezerro nelore desmamado com 200 kg.
Fonte: Scot Consultoria*Bezerro nelore desmamado com 200 kg.

Conclusões

O mercado oscila diariamente, o que nos impede de cravar qual será a melhor opção para 2020. No entanto, os indicadores apontam que daqui até 2020 é mais provável uma valorização do que desvalorização para o boi magro, já que estamos entrando em um ciclo de alta dos preços de reposição.

Se hoje seu custo projetado da recria for menor do que o preço atual do boi magro, as chances da recria ser mais vantajosa financeiramente frente à compra do boi magro em 2020 são maiores.

Mas essa decisão deve ser pautada em um planejamento estratégico. Por isso, é preciso medir custos, projetar resultados e acompanhar as projeções do mercado. Além dos números, a disponibilidade de recursos, como área, infraestrutura e capital, também deve ser levada em consideração.

Por fim, os valores utilizados nas simulações variam de fazenda para fazenda, sendo que quanto maior for o nível de informação disponível na sua propriedade, maior será a confiança dos seus dados, facilitando a decisão a ser tomada.


Autor: Breno de Lima – Zootecnista

Para ficar de olho no mercado e planejar suas estratégias de negócio, confira a seção de cotações.

 

Clique e leia a matéria completa

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*