Planejamento: custos de reforma e recuperação de pastagem

Investimentos em pastagens são positivos diante do cenário de preços firmes para a arroba do boi gordo e de melhora na relação de troca com adubos e aumentos nos custos dos alimentos concentrados

Quatro bois nelore em uma pastagem com grama alta.
verde

O mercado está favorável à pecuária de corte, com preços em patamares elevados para a arroba do boi gordo no país, diante da baixa oferta de animais para abate e a boa demanda para exportação.

Veja as expectativas para o mercado do boi gordo em curto prazo neste artigo.

Para o longo prazo (2021/2022), o cenário é positivo, considerando uma oferta de gado para abate crescente, em relação aos anos anteriores, mas ainda não suficiente para derrubar os atuais patamares de preços da arroba. Dessa forma, os frutos dos investimentos feitos na atividade hoje serão colhidos em meio a um ambiente ainda favorável de preços da arroba. 

No caso das pastagens, além do aumento no poder de compra do pecuarista em relação aos adubos (veja o artigo), que favorece a compra do insumo, a melhora nas condições do capim e no manejo refletem em um aumento na taxa de lotação, maior ganho de peso e aumento da produtividade animal.

No mais, diante dos altos preços dos alimentos concentrados, como o milho e o farelo de soja, a intensificação da pastagem é sempre uma forma eficiente de reduzir os custos de produção da atividade.

Estimativas de custos 

Para as estimativas de custos, foram consideradas as etapas e os processos envolvidos na reforma da pastagem, levando em conta dois níveis de reforma de pastagem

As referências de preços dos insumos, operações mecanizadas e mão de obra são para o Brasil Central.

No entanto, apresentamos os cronogramas com as épocas referentes a cada etapa na reforma de pastagem para o Brasil Central, Centro-Sul e região Nordeste do país. 

Figura 1.
Cronogramas de período e etapas na reforma de pastagem para o Brasil Central, Centro -Sul e região Nordeste do país.

Fontes: Scot Consultoria 

Os custos obtidos foram de R$ 1.615,34/ha para a reforma usual e de R$ 2.800,02/ha para uma reforma de alta tecnologia, com vida útil variando de quatro a dez anos. 

Vale a ressalva de que a vida útil dependerá de lotação, entre outros fatores, podendo ser alongada, de acordo com o manejo correto e a reposição de nutrientes do solo. Veja as tabelas abaixo.

Tabela 1.
Estimativas de custos de reforma de pastagem (reforma usual) em R$/ha.

Fontes: Scot Consultoria 

Tabela 2.
Estimativas de custos de reforma de pastagem (reforma de alta tecnologia), em R$/ha.

Fontes: Scot Consultoria 

No caso da recuperação das pastagens, o custo está estimado entre R$ 550,00 e R$ 700,00 por hectare no Brasil Central, dependendo do nível de infestação da área.

Planejamento

Além de conhecer os custos envolvidos na reforma ou recuperação das pastagens, é fundamental o planejamento com relação à aquisição dos insumos e o cronograma de realização das operações, principalmente considerando o regime de chuvas de cada região.

Por exemplo, no Brasil Central e no Centro-Sul, as precipitações têm início em setembro/outubro, quando normalmente é feita a semeadura do capim. Já na região Nordeste do país, as chuvas em maiores volumes e mais regulares têm início em abril/maio.

De qualquer forma, o planejamento e a compra dos insumos, bem como algumas operações no campo, começam bem antes, como a amostragem do solo e algumas operações mecanizadas de preparo do solo, entre outros.


Rafael Ribeiro de Lima filho, zootecnista, msc.
Scot Consultoria

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*