Edy Tarrafel e a superação dos desafios que inspira quem está perto

Conheça a história da pecuarista Edy Tarrafel, que assumiu a fazenda da família aos 20 anos e hoje transmite a paixão pelo campo a todos os profissionais com quem convive

Na infância e na juventude, a pecuarista Edy Tarrafel sempre passou as férias na fazenda da família, uma propriedade adquirida por seu pai em 1978, localizada em Ivinhema (MS). Começava ali a paixão pelos animais e pelo campo e, alguns anos depois, uma bela história de coragem e superação.

A vida no campo, no entanto, falou mais alto quando, em 1998, aos 20 anos, Edy precisou assumir – com o apoio da mãe, Maria Aparecida Biondo Mengato – a administração da propriedade de médio porte da família, devido à perda do pai. “Quando comecei a cuidar da nossa propriedade, sem ter passado por uma sucessão planejada, foi bem complicado. Por ser mulher e muito nova, as pessoas tiveram uma certa resistência, não acreditavam que eu iria conseguir. Mas com o passar do tempo, fui ocupando meu espaço, ganhando a confiança e a admiração de todos. Provei que era capaz, busquei conhecimento e capacitação, e sempre fiz isso com muita determinação e comprometimento”, conta.

Leia também: O que você precisa saber sobre sucessão familiar no agronegócio

Obstáculos pelo caminho

No início, Edy morava em Presidente Prudente (SP), a 300 km da propriedade. Na cidade ela cursava a faculdade de Ciências Contábeis, na qual se formou em 1999. Em 2000, mudou-se definitivamente para a fazenda. “Há 22 anos não era tão comum ver uma jovem que sempre estudou e morou na cidade tomar a frente de uma propriedade rural. Além de incomum, era um fato curioso para as pessoas”, conta Edy.

No início, as dificuldades foram muitas, principalmente nos negócios e por estar em um ambiente quase que exclusivamente masculino. “Muitas vezes achavam que iriam se dar bem em negociações, coisa que eu nunca deixei acontecer. Sempre me impus, me colocava de igual para igual, não deixava me desestabilizar e nem me limitei a qualquer obstáculo que alguém pudesse impor”, lembra ela.

Vivenciando a rotina

O que sempre motivou Edy a dar continuidade aos negócios da família foi o exemplo de seu pai e o apoio de sua mãe. Na década de 1990, eles trabalhavam com pecuária de corte, pois a região só tinha atividades com gado de corte, leite e mandioca. Atualmente, a região diversificou os cultivos – hoje conta com produção de cana-de-açúcar, soja, milho, mandioca e urucum, além de atividades como fruticultura, silvicultura, suinocultura, avicultura, entre outras.

No começo, seu pai trabalhava com pecuária de corte com macho, e ela converteu para fêmea; antes se fazia só recria e engorda e, há dois anos, ela começou um trabalho de cria, selecionando matrizes. Também começou a investir em touros P.O. com ponderal. “Hoje já estamos com vacas parindo os primeiros lotes de bezerros”, explica a produtora.

Edy Tarrafel
Edy Tarrafel cuidando dos animais

Ao longo desses anos, já foram feitas muitas melhorias para aumentar a produtividade da propriedade. “Reformamos as pastagens até implementar a parceria com integração lavoura (mandioca) x pecuária, o que, além de corrigir o solo, permitiu fazer uma rotação de cultura, proporcionando uma renda extra e diminuindo o custo no manejo de pastagens. Refizemos todo o processo de captação de água e colocamos bebedouros em todos os pastos, subdividimos pastos para aumentar a capacidade e ter melhor aproveitamento, construímos um corredor para facilitar o manejo, tudo com arame liso, diminuindo o estresse e o custo com manejo”, relata.

Leia também: Bem-estar animal: melhorando a vida do produtor e do gado

A pecuarista gosta de acompanhar e participar de todas as atividades realizadas na propriedade. Ela anda a cavalo semanalmente, ajudando no manejo do gado e conferindo os serviços. “Observo as cercas, bebedouros, nascimento dos bezerros e o manejo de pastagens. Se há necessidade de alguma melhoria, já coloco em prática. Além disso, administro as parcerias que realizamos agricultura (mandioca) x pecuária, cuido da parte de documentação e participo ativamente do controle sanitário do nosso rebanho”, afirma.

A base de tudo

Nessas duas décadas que se passaram, Edy acredita que, acima de todo o conhecimento adquirido, o que realmente conduziu a sua história no agronegócio foi o exemplo que teve dentro de casa com o seu pai e com sua mãe na infância. E, agora, poder contar e ter o apoio incondicional do marido e dos filhos nas tomadas de decisões.

Edy Tarrafel
A pecuarista com os dois filhos, Maria Luiza e João Pedro Tarrafel

De lá para cá, muitas coisas aconteceram. Hoje, aos 41 anos, além de dividir o tempo com a família e com a Fazenda Nara Edy, a pecuarista também é Diretora Tesoureira e Coordenadora Educacional do Sindicato Rural de Ivinhema e Novo Horizonte do Sul,  Diretora da Secretaria da Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso do Sul (Famasul), Coordenadora de Núcleo do Sicredi Centro-Sul do município de Ivinhema, Membro do Conselho Gestor Rio Paraná pela Famasul e Membro da Frente Parlamentar do Leite no Estado do Mato Grosso do Sul.

Para Edy, os profissionais do agro são persistentes e trabalham arduamente. “Estão sempre buscando inovações para desenvolver um trabalho sustentável, preservando o meio ambiente. Eu sempre gosto de dizer aos meus colegas de profissão: sigam em frente, conquistem seu espaço, participem de instituições ligadas à sua classe, se dediquem, troquem experiências e nunca desistam do seu sonho”, finaliza.

A Edy Tarrafel é um exemplo de coragem e determinação! E você, conhece outros pecuaristas com uma história de vida parecida? Conte para nós nos comentários!

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*