Eficácia no controle das plantas daninhas com a Tecnologia XT

Acompanhe como uma fazenda em Altamira do Paraná, no Paraná, está conseguindo controlar três plantas invasoras que estão entre as dez mais prejudiciais ao pasto

controle das plantas daninhas 

Um alcance de 90% no controle de plantas daninhas como assa-peixe (Vernonia polyanthes), uma das dez pragas mais prejudiciais e difíceis de combater. Esse é o resultado da aplicação da Tecnologia XT realizada na pastagem da Fazenda Três Lagoas, mais conhecida como Agropecuária HCR, localizada em Altamira do Paraná, cerca de 150 quilômetros de Cascavel, no Paraná.

Segundo o pecuarista Herbert Luersen, proprietário da fazenda, a limpeza do pasto com XT teve início em 2019, com aplicação aérea, via helicóptero, e terrestre, com bomba costal. Em pouco mais de seis meses, as plantas mais difíceis de combater, na opinião de Luersen, como as semilenhosas e lenhosas, foram praticamente eliminadas até a raiz.

“Com a mão de obra cada vez mais escassa e de baixa qualidade, o XT veio para somar forças para nós, pecuaristas, pois com apenas uma aplicação tivemos um resultado de plantas mortas muito maior que nos anos anteriores com outros produtos”, explica Luersen.

controle de plantas daninhas

Duas fotos de um pasto antes e depois do uso da Tecnologia XT.

Ele também destaca o retorno financeiro maior e mais rápido proporcionado pela tecnologia, ao conquistar um pasto mais limpo e produtivo, com praticamente todas as plantas daninhas eliminadas. “Para algumas plantas, era necessário primeiro roçar e só então passar o herbicida no toco. Então gastávamos o valor do roçado e mais o da aplicação do produto. Com o XT, fazemos uma aplicação foliar mais rápida e mais econômica”, argumenta o pecuarista.

Leia também: Plantas daninhas no pasto: confira as dez principais espécies

Controle completo e eficiente de plantas daninhas 

Para Thiago Zanella, representante da Corteva Agriscience que atua na região do Paraná, na Agroflama Assistência Agrícola LTDA., o resultado apresentado na propriedade de Hebert Luersen superou as expectativas, já que eram plantas de rebrote muito antigo e totalmente fora do espectro de controle.

Zanella conta que, assim como Luersen, outros pecuaristas locais têm percebido as importantes vantagens do XT, principalmente pelas características da região Oeste do Paraná, que possui grande número de médios e pequenos produtores, com módulos menores de área, em sua maioria, de morro, nas quais há o desafio de plantar grandes culturas, como soja e milho. “90% das áreas de aplicação são realizadas com equipamento costal, outra grande vantagem da Tecnologia XT, já que ela possui registro para esse tipo de aplicação”, defende.

Combinada a essa vantagem, a tecnologia ainda traz maior rendimento operacional e um amplo combate a diversas plantas invasoras em diferentes estágios de desenvolvimento, relata Crisiano Leal, gerente de Vendas na região. Para ele, o XT é um ‘divisor de águas’ na limpeza das pastagens, pois permite o controle efetivo “de um amplo espectro de plantas, descartando a necessidade de misturas e proporcionando ao pecuarista um rápido retorno do investimento com o aumento da capacidade de lotação de seu pasto”.

O diretor de Marketing da companhia, Douglas Ribeiro, une-se à defesa da tecnologia, reforçando o quanto ela tem sido percebida como a solução com o melhor custo por hectare. “A pecuária brasileira realmente abraçou a Tecnologia XT. Por muito tempo o pecuarista não tinha em mãos uma solução eficiente e viável financeiramente para o controle de plantas invasoras e a manutenção da qualidade do seu pasto”, aponta.

Você também enfrenta desafios no controle das plantas daninhas na sua região? Compartilhe sua experiência aqui no blog.

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*