Força, raça e fé em evento da Corteva

A Corteva Agriscience promove evento on-line, para mostrar as ações e realizações da Plataforma-S

A Corteva Agriscience promove o Experiência-S, evento on-line realizado na última terça (25), para mostrar as ações e realizações da Plataforma-S.

“O que é sustentabilidade? É a certeza de um futuro. Haja o que houver. Venha o que vier.” Estas foram as palavras que abriram o evento, promovido pela Linha de Pastagem Corteva no final da tarde de 25 de maio.

Ditas afirmativamente pela apresentadora Patricia Paes, elas resumem como a marca celebra o primeiro ano da Plataforma-S, a iniciativa da Linha de Pastagem que reúne os compromissos da marca com a construção de uma pecuária sustentável: “Com um tanto de confiança e outro tanto de ação. Confiança num projeto de desenvolvimento que inclua a todos – o produtor, as comunidades, as empresas, os consumidores, as pessoas. E que pense no meio ambiente como nossa única fonte de vida. É preciso ter fé no futuro”, completa Paes, no discurso de abertura.

Adiantando o tom do que seria apresentado a seguir, Roberto Hun, Presidente América Latina da Corteva, falou dos compromissos globais da Corteva com o planeta e as pessoas. “Estamos aqui para celebrar a vida, as nossas conquistas.” E completou: “Muito mais do que palavras, melhor trabalhar com ações práticas.”

E quantas ações! Antes de apresentá-las, Paulo Pimentel, Líder de Marketing da Linha Pastagem da Corteva, apresentou dados de estudos que mostram que os grandes desafios sociais e ambientais do planeta passam necessariamente pelo desenvolvimento de uma pecuária sustentável. Comparando índices como o crescimento populacional, as exportações e as áreas de pastagem, Pimentel mostrou que hoje o País produz aproximadamente 10 milhões de toneladas de carne, em 167 milhões de hectares de pastagens. “Em apenas 30 anos, em 2050, seremos 250 milhões de brasileiros. Exportaremos o dobro do que exportamos hoje. E, para tamanha demanda vamos precisar aumentar a produção em 50%”. E alertou: “Como dar este salto sem aumentar a ocupação de terras na mesma proporção?” A resposta vem em duas palavras: “Tecnologia e sustentabilidade. Produzir mais em menos espaço de terra – com respeito ao meio ambiente, aos animais e à vida das pessoas”, completa Pimentel.

Plataforma-S: sustentabilidade como estratégia

Tomada a decisão de criar a Plataforma-S, a Corteva entendeu que este era um desafio não só da companhia, como também de todos os atores da cadeia de produção, envolvendo pecuaristas, a indústria e seus parceiros, governo e toda a sociedade. “Para ser sustentável a gente precisa ter fôlego, garra. Esse é um desafio de todos nós”, explicou Sonia Chapman, especialista em Planejamento Estratégico e Gestão de Sustentabilidade e Desenvolvimento Sustentável, que desde o princípio da iniciativa presta consultoria para a Corteva.

E por que Plataforma-S? A letra “S” representa os 4 pilares dos compromissos que orientam as ações da companhia:

  • S de Sucesso – buscando o progresso dos pecuaristas e de todos os envolvidos na cadeia de produção de carne;
  • S de Sinergia – fazendo dos propósitos da Plataforma-S os pontos de engajamento de todos os atores da cadeia produtiva por uma pecuária sustentável;
  • S de Sócioeconômico – por meio de práticas e ações que conectem a prosperidade das comunidades com a atividade pecuária e, finalmente,
  • S de Sustentabilidade – resultante das ações de toda a Plataforma.

Leia também: Porque lançar uma Plataforma de Sustentabilidade na pecuária

S de Sucesso

“Trazer novas soluções tecnológicas para que o pecuarista tenha sucesso hoje e possa assim, investir nos cuidados com o meio ambiente.” Desta forma, que Pimentel resume os critérios utilizados na criação de ações deste pilar da Plataforma-S.

Como exemplo, estão as novas tecnologias lançadas, Ultra-S e a inédita XT-S, que trazem o S no nome, revelando que foram pensadas para gerar aumento de produtividade com resultado sustentável – nos dois casos, a concentração dos ativos favorece uma drástica redução das embalagens plásticas. Segundo cálculo apresentado por Pimentel, “somente em 2020 nossos clientes usaram quase 232 toneladas a menos de plástico, o que representa 443 mil km rodados a menos na entrega das soluções, evitando a emissão de mais de 310 mil toneladas de CO2 na atmosfera”.

No mesmo pilar foi criado o programa Pecuarista-S – uma distinção a pecuaristas que já atuam com boas práticas de proteção ao meio ambiente, respeito aos animais e ações de desenvolvimento humano e social. Neste primeiro ano foram contemplados 10 produtores, representantes das várias regiões e biomas do País que terão projetos de sustentabilidade implantados em suas fazendas com o apoio da Plataforma-S. Até o momento, o programa já alcançou um investimento na ordem de R$ 750 mil… “e isso é só o começo”, completa Pimentel.

Leia também: Pecuarista-S João Pennacchi: sustentabilidade vem de berço

S de Sinergia

Entre as ações promovidas para os Pecuaristas-S, o evento destacou o projeto de Carne de Baixa Emissão de GEEs (Gases do Efeito Estufa), como exemplo da sinergia entre o poder público, a indústria, os frigoríficos e os pecuaristas. A parceria entre a Embrapa Meio Ambiente, a Minerva Foods – um dos líderes na América do Sul na produção e comercialização de carne in natura e seus derivados, o Instituto de Pesquisa WRI e a Corteva está possibilitando estudar e mapear a pegada de Carbono nos diversos modelos produtivos e biomas dos Pecuaristas-S. A partir destes levantamentos e Big Data, será possível estabelecer protocolos diferenciados para necessidades específicas dos pecuaristas, de forma a ajudá-los a aumentar a produtividade e reduzir a emissão de GEEs. “O produtor no vermelho não consegue cuidar do verde” sintetiza William Marchio, consultor da Minerva e Corteva e PMO do projeto – em vídeo apresentado no evento.

Neste pilar, o evento também destacou a parceria imprescindível dos distribuidores Corteva, que aderiram de imediato à proposta, desta vez unidos não somente pelos negócios, mas principalmente pelos propósitos de sustentabilidade da Plataforma-S.

Leia também: Corteva se une a Grupo Módulo para apoiar campanha “Natal Sem Fome”

S de Social

O que a reforma de uma escola pode gerar de benefício sustentável para a pecuária?  No evento, a Plataforma-S respondeu a esta pergunta apresentando não só a reforma de uma escola em comunidade rural, como a reforma de três escolas promovidas pela Plataforma-S. “A geração de conhecimento nas escolas rurais, onde estudam filhos de pequenos produtores, faz com que essas crianças cresçam ajudando a gerar riqueza e progresso em suas próprias comunidades” explica Pimentel, chamando para a exibição de um vídeo que apresentou a recuperação e expansão das escolas, uma do Litoral Norte da Bahia, outra em Jussara (GO) e, finalmente, uma escola da APAE em

Contando com várias obras específicas em cada uma delas, nos três exemplos há um ponto em comum: a preocupação da Corteva em criar uma fonte de captação de recursos perene para depois das reformas. “Com o poço artesiano a escola vai conseguir respirar e produzir”, atesta Osmar Pereira de Souza, gestor da EFALN – Escola Família Agrícola (Rio Real-BA). Da mesma forma, Aurizete Olinda Lessa Nunes, Diretora da Escola Municipal Francisco Rodrigues Rebouças de Jussara e Rosângela Noro, Diretora da APAE de Vera Cruz D’Oeste (PR) enxergam nas estufas de produção de mudas de espécies nativas oportunidades de aprendizado ecológico, reflorestamento das cercanias e, ainda, fonte de renda com a venda das mudas produzidas.

Leia também: Plataforma-S recupera escola agrícola no litoral norte da Bahia

Outros projetos de cunho social são os chamados Capacitação-S, estes diretamente ligados à produção agropecuária em pequenas propriedades, onde a equipe da Corteva em sinergia com os parceiros distribuidores locais promove uma transformação, implantando e ensinando tecnologias que vão melhorar a produtividade e gerar sustentabilidade para o negócio, como aconteceu na chácara do casal Mauro Rodriguez dos Santos e Rosineide Teixeira dos Santos, em Vera Cruz D’Oeste.

Neste ano, já foram investidos R$ 500 mil em ações sociais pela Plataforma-S.

S de Sustentabilidade

Como fator sistêmico, investimentos em ações de sustentabilidade ambiental também podem gerar impactos sociais positivos e a recíproca também é verdadeira. Nesse sentido, além dos projetos apresentados acima, foi apresentado no evento o projeto de Recuperação de Nascentes que, até o momento já envolveu 15 áreas de nascentes, em 10 estados, com um investimento na ordem de R$ 545.000.

Leia também: Corteva inicia programa para recuperar nascentes em comunidades rurais

Força, Raça e Fé

Para o encerramento, o evento reservou uma surpresa: o lançamento nacional da nova campanha da Linha de Pastagem Corteva, que procura traduzir toda esta preocupação e cuidado com o meio ambiente, com os animais e com as pessoas, que vai muito além da produção pecuária. A mensagem foi transmitida por um vídeo em que o ator, cantor e compositor Rolando Boldrin fala das crenças e propósitos da Corteva como quem reza uma oração. O filme concluiu com o novo conceito da Linha Pastagem:

A natureza é nossa Força
A pecuária, nossa Raça
E alimentar o mundo, a nossa Fé

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*