Impactos da Covid-19 no mercado de carnes brasileiro

Entenda como a pandemia está afetando o mercado nacional e internacional de carnes bovinas

Impactos da Covid-19 no mercado de carnes

Em meio a um panorama global extremamente desafiador gerado pelo coronavírus, o mercado nacional pecuário vem percorrendo a pandemia da Covid-19 de maneira relativamente positiva, principalmente no que diz respeito ao cenário de exportação da indústria de carne bovina.

Mercado internacional

O diretor financeiro Edison Ticle, da Minerva Foods, terceira maior indústria de carne bovina do Brasil e líder na exportação do produto na América do Sul, conta que o cenário está bastante favorável neste período e com oportunidades relevantes para crescimento internacional. A China continua sendo o principal mercado do negócio, sendo que a Minerva Foods comercializa aproximadamente 45% da sua produção para o local. “Um dos fatores que levam à maior demanda por parte do país asiático é a retomada das atividades após redução dos casos do coronavírus. Além disso, a China ainda sofre o impacto da peste suína africana, que reduziu em 50% o rebanho de animais. A principal substituta da carne suína é a proteína bovina”, ressalta ele.

Neste momento, outras situações estão favorecendo as exportações brasileiras, como a redução da oferta na Austrália, que é um dos principais exportadores para o país asiático e atualmente enfrenta problemas climáticos. Nos Estados Unidos, os produtores de carne bovina estão operando com volume bem reduzido em razão do fechamento de plantas por contaminação dos colaboradores com o novo coronavírus. Também há a diminuição da oferta na Índia, que é produtora e exportadora de carne de búfalo, uma proteína mais barata e comercializada para mercados com menor poder aquisitivo.

Diante de tantas incertezas, são abertas novas oportunidades para o Brasil e para a Minerva Foods. “Já temos recebido pedidos desses novos mercados, como Malásia e Indonésia, que ainda não compravam a nossa carne bovina”, afirma o diretor financeiro.

Para o pecuarista e presidente do conselho de administração da Mercúrio Alimentos S/A Lincoln Silveira Bueno, os setores de frigoríficos e fazendas pecuárias estão em uma boa fase e com alta demanda para exportação.

Leia também: China: projeções de produção e demanda por carnes

Mercado nacional

O impacto generalizado na indústria nacional de carnes trouxe algumas alterações no canal de vendas do mercado interno. “Percebemos nos últimos meses um aumento de cerca de 50% nos pedidos de carne bovina pelos clientes do varejo, enquanto vimos uma queda de aproximadamente 70% nos pedidos dos clientes de food service, em razão do fechamento de restaurantes, churrascarias, bares e hotéis. Outro movimento que tem acontecido é a preferência do brasileiro por cortes mais baratos, em razão da perda de renda gerada pela crise causada pela pandemia da Covid-19”, explica Edison.

O pecuarista Lincoln conta que mesmo o mercado interno continua atravessando bem as consequências do contexto atual, pelo menos por enquanto. “Apesar de todas as dificuldades trazidas pela trágica pandemia, estamos conseguindo manter a qualidade dos nossos produtos, a nossa excelência operacional e acreditamos que os nossos resultados permaneceram devido aos fortes laços de confiança que construímos com os nossos clientes.”

Com a Covid-19, pecuaristas e frigoríficos precisaram seguir atentamente as recomendações feitas pela Organização Mundial da Saúde para manter suas operações. Na Minerva Foods, foi adotada uma série de medidas para proteger a saúde dos colaboradores, garantindo a segurança da produção e o abastecimento à população. “Nós adquirimos testes de diagnóstico rápido do coronavírus para aplicação nos funcionários das plantas, fizemos o monitoramento da temperatura corporal na entrada de todas as unidades, antecipamos a campanha de vacinação tetravalente contra a gripe para o mês de abril, organizamos a produção de forma a garantir o distanciamento seguro entre os funcionários, evitamos aglomerações, fornecemos máscaras e estipulamos o uso obrigatório desses equipamentos para todos os funcionários, disponibilizamos recipientes de álcool em gel em todas as unidades, entre várias outras iniciativas”, conta o diretor.

Perspectivas para o futuro

Em um panorama geral, a situação atual do mercado financeiro e o contexto mundial não têm impactado consideravelmente o mercado da carne bovina brasileira a curto prazo, porém, os profissionais do agronegócio precisam estar atentos, pois a economia está muito volátil, o que pode ocasionar mudanças rápidas no cenário.

Uma coisa que requer atenção e cautela é a segurança alimentar. Certamente, essa preocupação será cada vez mais comum, especialmente neste contexto de Covid-19 e pós-pandemia. “Nesse sentido, o Brasil está muito bem posicionado, uma vez que todas as plantas seguem controles sanitários rígidos e contam com a presença de inspetores do Serviço de Inspeção Federal, órgão ligado ao Ministério da Agricultura. Com isso, temos todas as condições para ocupar novos mercados”, disse Edison.

Para o diretor, o Brasil tem uma oportunidade única de se posicionar como provedor global de alimentos. “Hoje, mais de 70% do faturamento da Minerva Foods vem da exportação, e devemos nos voltar ainda mais para o mercado”, finaliza. 

Continue acompanhando o Pasto Extraordinário e fique por dentro de todas as novidades e atualizações do agro nos diversos momentos do segmento no mercado.

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*