Pecuarista aprende a administrar fazenda após ficar viúva e ganha filhos “de alma e de coração”

“Na minha trajetória, tive perdas e lágrimas. Mas também tive persistência e esperança”, afirmou Jussara Negrão, administradora da Agropecuária Cedron.

Mãe de alma e de coração, é assim que a pecuarista Jussara Negrão se define. “Deus conhece nossos anseios. Enviou dois presentes para mim”, contou.

Ela administra a propriedade Agropecuária Cedron, em Anastácio (MS), desde 2001 – quando ficou viúva. A fazenda é considerada referência na região em pecuária de corte e trabalha com os sistemas de cria, recria e engorda.

LEIA MAIS: Dia da Mulher: única pecuarista entre os dez maiores produtores de leite do Brasil fala sobre gestão

Os filhos de alma e de coração

Foi na pecuária que Jussara encontrou um de seus filhos: Nelson Guimarães Canuto. “Ele é meu filho de alma. Entrou na minha vida no início de uma parceria comercial”, disse.  

Em 2014, depois de mais de dez anos cuidando sozinha da fazenda, ela começou a contar com Nelson na administração. “Ele ficou com a administração da porteira para dentro, e eu passei a cuidar do administrativo e do financeiro”. 

A parceria deles teve início em 2009, quando Nelson fazia pós-graduação em Zootecnia e deu assistência à fazenda de Jussara por meio de uma multinacional. 

Já Rebeca Gomes Negrão é a filha de coração de Jussara. Rebeca entrou na minha vida recém-nascida. Hoje ela tem 25 anos, está casada e segue sua trajetória”, afirmou a pecuarista.

SAIBA MAIS: Mães: exemplos de superação no agronegócio e na vida

Nelson Guimarães Canuto é filho de alma de Jussara e parceiro nos negócios.

Os desafios para chegar à liderança

Jussara contou que ao perder o marido, há 20 anos, não entendia nada do negócio. Foi um momento muito difícil para ela. 

Porém, a determinação e a disciplina, somadas ao fato de não ter medo de arriscar, foram decisivas para Jussara se tornar administradora e líder da Agropecuária Cedron.

“Na minha trajetória, tive perdas e lágrimas. Mas também tive persistência e esperança. Nada acontece do dia para a noite. Liderar não é apenas conduzir pessoas, seja filhos ou funcionários. Liderar é criar caminhos para eles passarem com segurança”, afirmou. 

Segundo Jussara, as tecnologias usadas na propriedade contribuíram decisivamente para o avanço da fazenda. 

A Agropecuária Cedron usa sistema de cria, recria e engorda, com a terminação dos animais em sistema de confinamento. A capacidade estática do confinamento da fazenda de Jussara é de mil animais superprecoces – que são abatidos com 14 meses. 

“Sinto-me feliz pelo espaço conquistado e por contribuir nesse setor tão fundamental para a economia como é o agronegócio”, disse a pecuarista. 

LEIA MAIS: Liliana Teles: Vocação que vem de berço

Rebeca Gomes Negrão é a filha de coração de Jussara e chegou ainda recém-nascida na vida da pecuarista.

Animais superprecoces

A Agropecuária Cedron trabalha com CI há 10 anos. Jussara contou que o início do projeto foi bastante tímido. 

“Nem imaginávamos que chegaríamos a abater superprecoces, animais de 11 meses. Nossa IATF era somente 20% com CI, hoje fazemos 100% das matrizes com angus e repassamos com touros nelore PO. E ainda, visando à estação de inverno, submetemos ao protocolo reprodutivo aos 10 meses de idade, inserindo, dessa forma, uma terceira raça: a tricross”.

Dessa maneira, foi implementado o processo de animais superprecoces, com desmama aos sete meses e com a castração dos machos um mês depois do desmame. “Conseguimos abater com 11 meses as fêmeas e com 13 meses os machos, com média de 13@ para as fêmeas e 16@ para os machos”. 

LEIA MAIS: O que esperar da agropecuária brasileira em 2021?

Novo conceito

Para Jussara, antes de se falar em números, é preciso pensar em qualidade. Ela disse que almejava se tornar a idealizadora de um novo conceito da proteína bovina. Por essa razão, sempre esteve atenta às novas tendências resultantes do processo dinâmico e evolutivo do mercado consumidor.

“A oferta de um produto com as características das Carnes Boi de Capim, produzidas na Agropecuária Cedron, proporciona ao consumidor que adquire a proteína uma verdadeira experiência gastronômica, pautada no acompanhamento criterioso de todas as etapas produtivas da cadeia pecuária, assegurando o sabor original da carne”, afirmou. 

Saída do sistema convencional de engorda

Para colocar em prática o projeto que idealizou, a fazenda de Jussara precisou sair do sistema convencional de engorda e reduzir o tempo no sistema de confinamento, o que, de acordo com a pecuarista, possibilita animais com acabamento de carcaça superior e que favoreça o rendimento na hora do abate.

Há ainda, conforme Jussara, o ganho indireto por meio da desocupação e do descanso do pasto. A Agropecuária Cedron desenvolveu um planejamento focado em equilíbrio nutricional. 

“Nosso objetivo era estabelecer um novo conceito de carnes gourmet. Foi idealizado um projeto de verticalização da pecuária que contempla todas as etapas de produção de bovinos de corte”, disse. 

LEIA MAIS: Conheça os dez cortes de carne bovina premium mais desejados do momento

“Nosso objetivo era estabelecer um novo conceito de carnes gourmet”.

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*