Preço do boi sobe com força em novembro, mas perde referência no fim do mês

Na segunda metade de dezembro, período em que normalmente a movimentação no mercado do boi gordo é menor, é possível que o mercado perca força.

Expectativas do boi gordo em dezembro

O mês de novembro foi marcado pela forte valorização no mercado do boi gordo (assim como os mercados de carne bovina e o mercado de reposição).

Como no mês passado, a valorização da arroba do boi gordo já era esperada, contudo, o que surpreendeu foi a intensidade das altas ocorridas.

Tomando a praça de São Paulo como exemplo, o preço do boi gordo subiu 35,6% no mês, até o dia 27/11. A alta de preço foi registrada praticamente em todo o Brasil. Na média de 32 praças pesquisadas (veja as cotações do boi gordo aqui), a valorização foi de 28,6%.

Relacionamos aqui, os fatores que explicam o movimento das cotações em novembro e o que podemos esperar para a reta final de 2019.

Baixa oferta de boiadas no mercado

A disponibilidade de bois de cocho está diminuindo, e a oferta de animais de pasto ainda está baixa, ou seja, o cenário de oferta limitada deve seguir sem alteração em dezembro.

Vale lembrar que houve atraso das chuvas em boa parte do Brasil, o que deve impactar no volume de boiada de pasto no último mês do ano.

Demanda por carne bovina

Se no mercado do boi gordo os preços tiveram forte alta em novembro, no mercado de carne bovina o cenário não foi diferente.

No mercado atacadista de carne bovina com osso, o preço do boi casado subiu 35,7%.

Vale ressaltar que, na última semana do mês, o mercado do boi gordo e da carne bovina trabalhou em ambiente mais calmo.

A menor movimentação no mercado do boi gordo na última semana de novembro foi um movimento importante.

Isso porque o mercado ficou mais comedido devido à dificuldade do escoamento da carne bovina no mercado interno, após a forte alta de preço no mês. O que sugere que o mercado pode ter atingido um teto de preço.

Do lado da exportação, o Brasil segue exportando bons volumes de carne bovina in natura, fator que colaborou para as altas de preços da carne no mercado interno.

Importação de carne bovina como solução?

A forte valorização da carne bovina fez com que o governo cogitasse a possibilidade de importar o produto a fim de equilibrar o mercado.

Entretanto, esse cenário é improvável, uma vez que a abertura de mercado exige um procedimento que, normalmente, é demorado. Além disso, a alta do dólar, principalmente na segunda quinzena de novembro, prejudicaria a importação.

Apenas como comparação, de janeiro a outubro a importação de carne bovina in natura foi de 25,28 mil toneladas, já a exportação foi quase 49 vezes maior.

Expectativas para o mercado do boi

O escoamento de carne bovina no mercado interno diminuiu nos últimos dias de novembro. Esse movimento, se continuar, pode fazer com que o mercado perca força antes do esperado, já na primeira metade de dezembro.

Além disso, na segunda quinzena do mês, período em que normalmente a movimentação no mercado do boi gordo é menor, é provável que o mercado não tenha força para altas expressivas (podendo, até mesmo, ocorrer queda de preço), mesmo com a oferta restrita de boiadas.

Portanto, a sugestão para o pecuarista que precisa e/ou tem a intenção de negociar a sua boiada em dezembro, é de que fique atento ao mercado, principalmente nas primeiras semanas, quando as indústrias deverão abastecer os estoques para atender à demanda de fim de ano.

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*