Que tal apostar na produção de cervejas artesanais na sua fazenda?

Aproveitar o espaço de sua fazenda para produzir cervejas artesanais pode ser mais que um hobby. Saiba como o negócio já trouxe lucro para uma propriedade rural.

cerveja artesanal

Produção agrícola e pecuária não precisam ser as únicas atividades realizadas em propriedades rurais. Além de plantações e criação de animais, é possível incluir no negócio instalações que, além de aumentarem a renda, sejam um prazeroso trabalho que vai agradar não apenas os colaboradores da fazenda, mas também pode chegar a conquistar novos clientes. Quer apostar na produção de cervejas artesanais?

No interior do Rio Grande do Sul, dois irmãos e um sócio deram vida à Cervejaria Hillneck, decidiram investir no negócio, e o resultado foi um sucesso. Depois de participarem de um curso de extensão sobre a produção de cervejas artesanais, os irmãos Rodolfo e Fabíola Mattei e o sócio Jeferson Palma Argerich buscaram financiamento, compraram os equipamentos e instalaram tudo em um pequeno espaço na fazenda de grãos da família Mattei. Devido à boa aceitação, um ano depois, construíram um pavilhão exclusivo para a fabricação da cerveja Hillneck.

Em dois anos, nos estilos Pilsen, Weiss, Witbier, Red Ale, Brown Ale, IPA, Doble Ipa e Dry Stout, a produção já chegava a 10 mil litros mensais. Hoje, com 5 anos, a marca conta até com loja própria. Para um dos sócios, Jeferson Palma Argerich, o desenvolvimento da empresa foi em ritmo acelerado, e as perspectivas para os próximos anos é que esse crescimento continue. “Queremos estar presentes com a nossa marca em mais cidades do estado do Rio Grande do Sul, levando a cultura da cerveja artesanal para outras pessoas”, afirma o cervejeiro.

Leia Também: Segredos para preparar uma costela de chão de forma descomplicada

O que é necessário para produção de cervejas artesanais?

Como cervejas artesanais são desenvolvidas com foco em qualidade e diferenciação, a produção é feita de forma minuciosa. Todo o acompanhamento e controle é realizado pelos produtores, logo, planejamento é essencial para aqueles que desejam entrar nesse universo.

Espaço físico para as instalações, que incluem equipamento para moagem, brassagem (mosturação, filtragem, fervura e resfriamento), fermentação e envase devem ser levados em conta. Não se pode esquecer, também, da seleção e armazenamento dos ingredientes.

O custo pode parecer elevado, mas não há com o que se preocupar. O auxílio à cadeia local de produção e a apresentação de sabores únicos são diferenciais que impulsionam o consumo e tendem a fidelizar a clientela.

O Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja do mundo, ultrapassando um bilhão de cervejas/ano. A concorrência exige um planejamento financeiro cuidadoso, e cada movimento estratégico é fundamental para a manutenção de sua marca e o retorno esperado.

Faça sua própria cerveja artesanal

Quer saber como produzir a sua própria cerveja artesanal? Mãos à obra! Confira a receita para 20 litros, com investimento inicial em equipamentos de cerca de 500 reais.

Você vai precisar de:

– 2 fogareiros de alta pressão

– 3 panelas de 32 litros com torneira

– Termômetro

– Balança

– Serpentina de cobre para usar como chiller

– Escumadeira

– Jarra com marcação de litros

– 2 baldes de PVC com torneira e tampa

– Mangueiras

– Densímetro

– Proveta

– Pá cervejeira

– Válvula airlock

– Termostato

Ingredientes

– Grãos maltados

– Lúpulo

– Leveduras

– Água

Preparo

Mostura e lavagem

– Aqueça a água até aproximadamente 70 °C.

– Jogue o malte e misture até que os grãos absorvam a água.

– Estabilize a temperatura entre 65 e 66 °C.

– Deixe repousar por aproximadamente uma hora, sem deixar a temperatura baixar mais que 2 °C.

– Em outra panela, aqueça 20 litros de água até 76 °C.

– Após cozinhar o malte por uma hora, faça o teste do iodo. Pingue uma gota do líquido do cozimento em um prato de cerâmica branco. Depois, pingue uma gota de iodo. Se o líquido mudar de cor, deixe cozinhar por mais alguns minutos e repita o teste até que o iodo não mude de cor.

– Acenda novamente o fogo do mosto e mexa até atingir 78 °C. Desligue e abra lentamente a torneira para coletar o mosto com uma jarra. Jogue-o de volta na panela, com o auxílio de uma escumadeira. Repita esse passo até o mosto ficar limpo, ou seja, sem farelos ou grãos.

Leia também: Aprenda a fazer linguiça artesanal

Filtragem, fervura e resfriamento

– Inicie a transferência do mosto para uma terceira panela onde será realizada a fervura, espalhando cuidadosamente a água de lavagem (que você já aqueceu a 76 °C) na cama de grãos.

– Acenda o fogo até ferver. Mantenha o fogo aceso e a panela destampada. Assim que começar a ferver, marque o tempo (geralmente 90 minutos).

– Durante a fervura, adicione o lúpulo de amargor (geralmente depois de 30 minutos).

– Faltando cerca de 15 minutos, coloque o chiller (serpentina) dentro da panela.

– Faltando 5 minutos, adicione o lúpulo de aroma.

– Retire a espuma que se forma na superfície do mosto com uma colher.

– Conecte uma ponta do chiller em uma torneira e abra.

– Higienize sua pá cervejeira e faça um movimento no sentido anti-horário até que forme um redemoinho (whirpool).

– Deixe a água passar pelo chiller até o mosto dentro da panela atingir aproximadamente 25 °C.

Fermentação, maturação e engarrafamento

– Transfira o líquido para o balde de PVC (higienizado) e adicione o fermento.

– Feche o balde com a válvula airlock para permitir a saída do ar e deixe repousar de 7 a 10 dias.

– Terminada a fermentação, a levedura vai decantar para o fundo do balde.

– Mantenha o balde dentro da geladeira, com temperatura controlada, por mais duas semanas.

– Transfira a cerveja para outro balde para tirar os resíduos. Para fazer o priming (açúcar diluído em água), meça a quantidade de cerveja e use a seguinte conta: 7 g de açúcar para cada litro de cerveja + 1,1 ml de água por grama de açúcar. Por exemplo: para 18 litros de cerveja, pese 126 g de açúcar (arredonde para 150 g). Adicione 225 ml de água e ferva por 5 minutos. Adicione esse líquido dentro do balde com a cerveja e misture. Encha todas as garrafas e guarde em um local escuro, por uns 15 dias.

Agora, é só gelar e beber!

Leia também: Carneiro no buraco, um prato típico de Campo Mourão

O seu gosto é que manda

Momento, preferência, local de comercialização… Esses são os fatores principais que vão determinar o sucesso de seu empreendimento. Em um mercado repleto de opções de excelente qualidade, certamente há espaço para o surgimento de um produto único.

Cerveja boa é aquela que você gosta de beber. Por que não a sua própria?

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*