Praticidade e rentabilidade no controle de plantas daninhas

Saiba como uma propriedade em Teófilo Otoni, em Minas Gerais, tem conseguido combater plantas invasoras na pastagem com o uso da Tecnologia XT e aumentar sua produtividade

controle de plantas daninhas

O Sudeste é a região brasileira escolhida para este segundo texto do especial sobre os resultados da família XT de herbicidas da Corteva Agriscience no controle de plantas daninhas. A tecnologia tem sido aplicada na pastagem da Fazenda São Miguel, em Teófilo Otoni, interior de Minas Gerais. Acompanhe!

A malva-branca é uma das plantas daninhas que se misturavam à pastagem da fazenda mineira do engenheiro Marcos Penchel Santos e que, agora, está sendo combatida. Como? Com a aplicação da Tecnologia XT no pasto.

Adquirida de seus pais há nove anos, Penchel conta que o primeiro passo ao assumir a propriedade foi “dar atenção especial à limpeza e qualidade do pasto”, já que isso não estava entre as prioridades do negócio.

No início, o engenheiro conta que utilizou outros herbicidas, mas teve dificuldade para combater as pragas. Só percebeu o começo de um efetivo controle após aplicar a Tecnologia XT. “A tecnologia realmente funciona, pois as plantas daninhas vão sumindo e a pastagem, a brachiaria, vai aparecendo. Se soubesse, tinha começado há mais tempo”, explica Marcos.

Leia Também: Plantas daninhas no pasto: confira as dez principais espécies

Referência em pasto limpo

Hoje, a fazenda mineira de Marcos Penchel, de 600 hectares e com recria e engorda de bezerros Nelore, oferece um pasto limpo e adequado ao gado. Inclusive, virou referência em pastagem na região.

“Conquistamos isso investindo em tecnologia. E esse exemplo demonstrou ao mercado, aos pecuaristas e profissionais locais que pasto limpo gera rentabilidade ao negócio. Então, a Tecnologia XT trouxe essa nova cultura à região”, reforça ele.

controle de plantas daninhas

Pastagem da Fazenda São Miguel, em Teófilo Otoni, interior de Minas Gerais, tratada com a Tecnologia XT

Para Paulo Pimentel, gerente de Marketing de Pastagem da Corteva Agriscience, a função principal da Tecnologia XT é justamente atingir áreas nas quais o controle das plantas invasoras não era alcançado, o que acabava interferindo na geração de recursos aos pecuaristas.

“A partir do XT, o segmento passou a ter disponível no mercado um único produto resultado da combinação de três ativos, que permite um controle mais completo e assertivo de plantas daninhas. Isso de maneira mais prática e rápida, além da utilização de doses mais baixas”, argumenta Pimentel.

Essas vantagens também são percebidas por Penchel Santos em relação a outros herbicidas utilizados anteriormente na sua propriedade.

“O funcionário consegue pulverizar os pontos da pastagem em menos prazo, o produto circula de maneira mais rápida e, em pouco tempo, vemos a planta invasora secando, sendo eliminada pela raiz. Isso contribuiu com o aumento da produtividade do nosso negócio”, explica.

Avanço tecnológico no controle de plantas daninhas

Para Jader Tenório, gerente de vendas da Corteva Agriscience nas regiões Sudeste e Nordeste, o resultado alcançado na propriedade de Marcos Penchel vem somar aos exemplos de controle de plantas daninhas e à busca pelo pasto limpo já registrados no país.

Segundo ele, a grande aceitação pelo produto ganha reforço a partir dos excelentes resultados tanto em invasoras de difícil controle como nas de fácil controle. “O índice de recompra tem sido de praticamente 100%. Estamos obtendo controles satisfatórios em áreas que já tinham sido abandonadas pelo pecuarista, onde a única opção seria a reforma. Com a chegada do XT, a recuperação dessas áreas tornou-se realmente viável”, explica Tenório.

O gerente de vendas também ressalta a família de herbicidas XT como um importante avanço tecnológico para a pecuária brasileira no combate a plantas daninhas, sobretudo pela eficiência com que as elimina pela raiz.

controle de plantas daninhas

Plantas daninhas que estão sendo combatidas na Fazenda São Miguel com a aplicação da Tecnologia XT.

André Luiz Silva, representante da Corteva Agriscience na ATC Agronegócios Ltda., na região Sudeste, compartilha da mesma opinião de Tenório e acrescenta a contribuição do XT para a atual demanda por avanços tecnológicos nas atividades rurais.

“Muitas vezes, esses avanços esbarram na escassez de mão de obra, na resistência em trabalhar com defensivos agrícolas e em valores mais altos. O XT não tem cheiro e traz resultados extremamente eficientes – com uma redução nos custos por hectare tratado –, só poderia ser um grande atrativo e uma solução definitiva para esses problemas”, defende.

Você também considera importante o cuidado com a pastagem? Como isso é feito na sua propriedade? Conte para nós!

E continue atento às nossas publicações. Na próxima matéria, vamos trazer dados sobre o controle de plantas daninhas na região Sul.

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*