Safra de grãos nos EUA e reflexos no mercado brasileiro

Clima adverso afetou o ritmo da semeadura da safra de grãos norte-americana e deu sustentação aos preços no Brasil.

safra de grãos

Os Estados Unidos estão semeando a safra de milho e soja 2019/2020 e o clima adverso por lá refletiu nos preços desses grãos no mercado brasileiro. É o chamado “mercado de clima”.

A questão é o excesso de chuvas, que tem prejudicado o avanço dos trabalhos no campo, o que acaba estreitando a janela ideal de plantio e aumenta os riscos com relação às quedas nas produtividades das lavouras.

Segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), até o dia 2 de junho, 67% da área de milho havia sido semeada nos Estados Unidos, frente a uma média de 96% da área semeada até então nas últimas cinco safras. No caso da soja, até o início de junho, 39% da área fora semeada, frente aos 79% semeados na média das últimas cinco temporadas.

LEIA TAMBÉM: Reflexos de maio e expectativa para o mercado do boi gordo em junho.

Observe na figura 1 que no Brasil os preços reagiram a esses fatos ao longo de maio. As altas foram de 13,2% para o milho e de 13,0% para a soja. Nesse caso, além da situação nos EUA, a alta pontual do dólar colaborou com a alta de preços em reais.

Figura 1.
Preços médios do milho grão em Campinas-SP (eixo direita) e da soja grão em Paranaguá-PR (eixo da esquerda), em R$ por saca de 60 quilos, sem o frete.

safra de grãos

Essa inversão na tendência de preços no mercado pôs fim ao movimento de queda nos preços do milho no mercado interno. O cereal que pontualmente chegou a ser negociado ao redor de R$ 30,00 por saca de 60 quilos na região de Campinas em meados de maio, em São Paulo, retomou para patamares acima de R$ 37,00 por saca.

Essa volatilidade nas cotações reforça a importância do monitoramento do mercado para se estabelecer uma estratégia de compra do insumo e até mesmo o uso de ferramentas de proteção de preços.

Acompanhe por aqui todas as análises de mercado para escolher o melhor momento para a compra dos insumos da sua propriedade.

Autor: Rafael Ribeiro – zootecnista, msc.

 

 

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*