Startup brasileira detecta incêndios precocemente; saiba quais são os benefícios

CEO da Sintecsys explica que o algoritmo é capaz de analisar as imagens em tempo real, reduzindo o tempo de detecção de fumaça de 48 horas para apenas 3 minutos

Detectar incêndios precocemente foi uma solução que a startup paulista Sintecsys colocou em prática em prol do meio ambiente. Incêndios florestais são uma das principais causas de emissões de CO2 no Brasil.

Quem conta isso para o Pasto Extraordinário é o CEO da Sintecsys, Rogério Cavalcante. Ele fala sobre a relevância do trabalho desenvolvido pela startup, que pode, inclusive, ser aplicado na agropecuária. “Atingimos em 2021 a marca de 3 milhões de hectares monitorados, sendo 33% (cerca de 1 milhão de hectares) de mata nativa, não havendo diferença entre instalar em áreas de cultivo ou em áreas de preservação”, afirma Cavalcante. 

LEIA MAIS: As queimadas no Pantanal

Inovação

O CEO da Sintecsys diz que essa inovação contribui de maneira inteligente para um grave problema mundial – os incêndios florestais emitem CO2 para a atmosfera, o que, segundo Cavalcante, impacta negativamente nas mudanças climáticas.

“A solução foi desenhada para áreas remotas, mesmo sem energia elétrica e/ou internet. Ela é composta por câmeras que giram 360 graus, 24 horas por dia, em busca de qualquer sinal de fumaça em um raio de 15 km (70 mil hectares), com nosso algoritmo analisando as imagens em tempo real, reduzindo o tempo de detecção de 48 horas para apenas 3 minutos”, explica.

Atuação da Sintecsys é positiva para o meio ambiente

Qual é a vantagem para a agropecuária?

Cavalcante ressalta que o principal diferencial no monitoramento da Sintecsys é o tempo de perceber um incêndio. “Se houver demora para se detectar um foco, o resultado é a necessidade – como já vimos inúmeras vezes – do uso de um número muito grande de voos de helicóptero e de aviões.” 

Tudo isso, conforme o CEO, pode gerar um grande prejuízo financeiro. Há ainda centenas de pessoas, em solo, correndo risco de vida. Por isso, a função da Sintecsys é atuar de forma preventiva antes de o fogo se alastrar, possibilitando que os recursos sejam utilizados com mais eficiência e eficácia. “Estamos diante de uma oportunidade ímpar para fazer a diferença no mundo” afirma Cavalcante. 

Em janeiro de 2021, a Sintecsys começou a implementar uma metodologia que, segundo Cavalcante, necessita de um ano de análise e de aplicação. Isso significa que esses novos resultados serão apresentados em janeiro de 2022.

SAIBA MAIS: Você já ouviu falar de seguro rural?

Redução de gases de efeito estufa e combate ao fogo

“A redução das emissões de CO2 devido a incêndios florestais não somente é utilizada no combate às emissões de gases de efeito estufa: ela é a própria redução de gases de efeito estufa”, explica o CEO. 

Mais uma vez, ele salienta que a Sintecsys ajuda a combater uma das três principais causas de emissões no país, que é a emissão por meio dos incêndios florestais. “Todo incêndio começa podendo ser apagado por um pé e, quanto menor o tempo de detecção, menor é o esforço necessário para o combate”, explica. 

Contudo, a forma atual de lidar com o problema, segundo Cavalcante, ainda ocorre tardiamente, mesmo utilizando a detecção por satélite. “Apagar um incêndio com três minutos de seu início é infinitamente mais fácil e de muito menor custo do que iniciar o combate após 48 de chamas.”

LEIA MAIS: Top 5: as startups que estão fazendo história na agropecuária

A Corteva Agriscience™ defende práticas para uma pecuária sustentável, e é por isso que desenvolve produtos que promovem a sustentabilidade no campo. A Tecnologia Ultra-S, por exemplo, reduz em até 50% o uso de embalagens, pois tem uma fórmula concentrada, que faz o produto render mais. Isso facilita o transporte, causando um menor impacto no meio ambiente, com a diminuição da emissão de CO2

Gostou do conteúdo? Conhece outras soluções para prevenir incêndios? Esperamos ter  ajudado com essa reportagem, para que você fique sempre antenado nas melhores soluções para a propriedade e também para o meio ambiente. 

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*