Tecnologia 5G vai aumentar produtividade e eficiência do agronegócio

Conexão vai permitir o uso de sistemas que analisam a qualidade de sementes e grãos, a nutrição animal, a situação do solo e a degradação de pastagens.

A chegada da tecnologia 5G ao campo promete transformar o agronegócio brasileiro. Com uma velocidade de rede 100 vezes maior, o sinal 5G traz oportunidades para diversas áreas, mas o agronegócio está entre os setores mais beneficiados. Isso porque melhorar o acesso à tecnologia é fundamental para o desenvolvimento agrícola de pequenos ou grandes negócios.

No Brasil, a conexão com o sinal de internet 5G pode proporcionar um ganho de produtividade de 20% a 30% para a agricultura. Segundo estimativas, o setor de agronegócio brasileiro pode ter um acréscimo de cerca de R$ 10 bilhões em suas receitas até 2030, graças a essa tecnologia.

O primeiro passo rumo a essa nova realidade foi dado em novembro do ano passado, com leilão das faixas de operação do 5G. Entre as obrigações das operadoras que ganharam a concorrência, está a de levar o sinal 5G a 1,7 mil localidades afastadas dos centros urbanos e expandir o 4G para mais de 7 mil áreas da zona rural. As empresas vencedoras já começaram a implantar o sinal nos principais centros urbanos do país.

Mais produtividade e eficiência no agro

Para o doutor em Engenharia Elétrica e presidente do Instituto de Atenção às Cidades (IAC) da Universidade Federal do Tocantins, Humberto Xavier de Araújo, assim que disponível, o 5G trará benefícios de forma imediata.  Segundo ele, a tecnologia vem com a proposta de trazer grandes ganhos e de ser uma ferramenta de desenvolvimento nos mais diversos ambientes de produção.

“Mais especificamente no campo, espera-se poder agregar valor na área em que o Brasil já é referência. Com a agricultura de precisão sendo guiada pela conectividade proporcionada pelo 5G, será possível desenvolver soluções de integração homem-máquina de forma mais suave”, destaca.

O principal avanço é a ampliação do uso de inteligência artificial com máquinas autônomas capazes de tomar decisões inteligentes, sem interferência humana. A conexão vai permitir, por exemplo, o monitoramento da saúde de um animal a distância e em tempo real, e a utilização de sistemas que analisam a qualidade de sementes e grãos, a nutrição animal e a situação do solo.

Araújo ressalta que o uso e exploração da rede 5G como ferramenta operacional será um grande diferencial, principalmente na aplicação de recursos e otimização dos ganhos.  “Assim, essa balança se torna interessante para o produtor, uma vez que ele pode investir de forma mais precisa (investir menos), e lucrar de forma mais otimizada (lucrar mais) ”, diz. 

LEIA MAIS: Tecnologia contribui para a sustentabilidade na agropecuária

Tecnologia 5G no manejo de pastagens

Outra aplicação da conexão 5G é a geração de relatórios sobre a situação das pastagens, permitindo identificar o grau de degradação. A tecnologia será uma grande aliada no manejo de pastagens em grandes áreas, que poderão ser facilmente observadas e analisadas por meio de drones conectados ao sinal de internet.

Nesse caso, os dados coletados são enviados para processamento por meio da rede 5G, para que o algoritmo de inteligência artificial aponte as características do pasto mapeado. É possível identificar, por exemplo, presença de lagartas e de fungos ou, ainda, detectar se a pastagem pode ser rotacionada ou não.

“É importante frisar que o 5G se faz necessário pelo grande volume de dados coletados em cada voo. Utilizar as redes convencionais pode acarretar um maior tempo de processamento”, alerta o doutor em Engenharia Elétrica.

Para o especialista, o uso do 5G vai profissionalizar ainda mais o agro brasileiro, de forma direta ou indireta. De forma direta, será possível agregar tecnologias, como a de reconhecimento por imagem ou vídeo para o controle de pragas.

“O produtor poderá usar defensivo de maneira pontual e localizada. Além de consumir menos defensivo e de gerar menos a intervenção humana, isso agrega maior qualidade dos grãos pelo fato de serem menos expostos aos defensivos”, afirma o presidente do IAC.

LEIA MAIS: A internet pode reduzir os custos e trazer mais rendimento para a pecuária

Exemplos práticos da tecnologia no campo

Enquanto a comercialização da tecnologia não está acessível ao campo, já existem alguns grupos de desenvolvimento trabalhando exclusivamente em aplicações do 5G no agro. O IAC, grupo de pesquisa da Universidade Federal Tocantins, tem desenvolvido algumas soluções de impacto no agronegócio nos últimos anos.

O presidente do IAC conta que o Instituto participou de dois projetos de pesquisa e inovação tecnológica já consolidados e desenvolvidos no campo com o auxílio do 5G. A Estação Piloto foi implementada no município de Rio Verde (GO), que desde o início de 2021 já contava com uma estação experimental 5G.

A primeira solução, aplicada à pecuária leiteira, foi desenvolvida para monitorar o rebanho por meio de câmeras de alta resolução, com um algoritmo de inteligência artificial capaz de identificar as vacas no cio. Para isso, o streaming de vídeo é enviado através do 5G para processamento e, então, o usuário recebe os alertas de cio por meio de aplicativo de celular.

“Considerando o fato de que não existem touros nas granjas leiteiras, essa solução é fundamental para que o produtor acompanhe os animais no cio em tempo real, e não perca essas janelas de inseminação”, afirma Araújo.

Em outro caso, a tecnologia foi aplicada na detecção de ervas daninhas em lavouras de soja. Foi desenvolvido um algoritmo de inteligência artificial capaz de detectar ervas daninhas como capim-amargoso, capim-carrapicho e buva.

“Um voo é realizado sobre a área de plantio, as imagens são enviadas por meio da rede 5G e processadas pela inteligência artificial. Assim, o produtor pode usar defensivo apenas nas regiões infestadas, economizando em hora de serviço, em defensivo, e tornando seu plantio mais ecológico”, explica o especialista.

Quais são as características do sinal 5G? 

A quinta geração de telefonia móvel tem como principais avanços, em relação quarta geração, maior velocidade na transferência de dados, tanto no downlink quanto no uplink, além de proporcionar menor latência, ou seja, o tempo entre o dado enviado e o dado recebido é significativamente menor.

O 5G permite uma conexão de altíssima potência e velocidade, com baixa latência, ou seja, o tempo gasto (medido em milissegundos) para que o dispositivo tenha uma resposta da torre de celular ou do link de rádio da conexão é muito baixo.

No entanto, para usar a tecnologia, os usuários precisam portar aparelhos com a tecnologia 5G. Dessa forma, alerta o doutor em Engenharia Elétrica, é importante que o produtor, no momento da aquisição de qualquer dispositivo, esteja atento para que tenha conectividade com a opção do 5G. 

Quando a internet 5G estará disponível? 

O lançamento para a comercialização do 5G pode está previsto para ocorrer em julho de 2022, no leilão das licenças. Se tudo ocorrer como o previsto, a Anatel já tem um cronograma para implementação gradativa do 5G no país. Confira abaixo os prazos máximos para a chegada do sinal 5G na sua região: 

  • 31 de julho de 2022: para capitais e o Distrito Federal
  • 31 de julho de 2025: cidades com mais de 500 mil habitantes
  • 31 de julho de 2026: localidades com mais de 200 mil pessoas
  • 31 de julho de 2027: municípios com mais de 100 mil habitantes
  • 31 de julho de 2028: metade dos municípios com mais de 30 mil habitantes
  • 31 de julho de 2029: municípios com mais de 30 mil habitantes
  • 31 de dezembro de 2029: municípios abaixo de 30 mil habitantes.

E você, já está se preparando para aproveitar os benefícios do sinal 5G em seus negócios? Conte para a gente.

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*