Unha-de-cabrito: como identificar e controlar

Planta daninha comum do Cerrado reduz o ganho de peso dos bovinos, impactando no resultado econômico da pecuária.

unha-de-cabrito

A Bauhinia curvula, popularmente conhecida como unha-de-cabrito ou pata-de-bode, é uma planta daninha que ocorre em algumas regiões do Brasil e que, se não feito o controle adequado, reduz o potencial produtivo da forragem, impactando negativamente no ganho de peso dos animais.

Neste artigo, apresentaremos as características dessa planta a fim de auxiliar a identificação e o controle da espécie.

Ocorrência e identificação da planta

A unha-de-cabrito é uma planta daninha comum do Cerrado brasileiro, com grande ocorrência nos estados de Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará e Minas Gerais.

É uma planta subarbustiva. Isso significa que, como arbusto, não tem uma única haste (fuste), mas várias saindo do solo, com flores brancas. A planta floresce por sete meses (junho a dezembro), possui caule subterrâneo e normalmente se desenvolve em áreas pouco sombreadas.

Caso o controle dessa planta daninha não seja realizado corretamente, pode atingir até três metros de altura, produzindo sombra e afetando o desenvolvimento da forragem, uma vez que a pastagem depende de luz solar para seu crescimento e produção.

Prejuízos com a infestação da pastagem

A infestação da unha-de-cabrito causa prejuízo para o pecuarista, uma vez que a planta daninha compete diretamente com o capim (por luz e nutrientes), reduzindo a massa de forragem disponível para o gado e, consequentemente, prejudicando o ganho de peso animal.

Com isso, a terminação (engorda) dos bovinos será mais tardia, o que eleva os custos de produção e impacta os índices zootécnicos e os resultados econômicos da atividade.

No caso da pecuária de leite, a produção poderá ser afetada pela queda na qualidade das pastagens (menor valor nutritivo).

Controle da unha-de-cabrito

Diante de uma infestação da planta daninha, o primeiro ponto é fazer uma análise do manejo da pastagem, uma vez que as práticas adotadas não estão sendo eficazes.

Essas práticas incluem a escolha da espécie de capim adequada para a área (com base no clima, relevo, altitude, etc.), a manutenção da fertilidade do solo, o controle da altura do capim na entrada e saída dos animais, entre outras. 

Parte dos produtores, quando os pastos estão infestados com unha-de-cabrito, normalmente, optam por realizar o controle mecânico por meio da roçada da área. Contudo, nesse método, será cortada também a planta forrageira (capim), e a rebrota da planta daninha (reinfestação) é inevitável.

Dependendo do grau de infestação, a alternativa pode ser o controle químico.

A recomendação é sempre, antes da aplicação de qualquer produto, contatar um técnico para que se faça a avaliação da área, a indicação do produto correto e, com isso, a obtenção dos resultados desejados.

O produtor pode fazer o controle químico dessa planta daninha utilizando produtos com a Tecnologia XT.

Para a aquisição do produto, basta o produtor procurar revendas e distribuidoras parceiras da Corteva Agriscience ou entrar em contato por meio da central de atendimento: 0800 772 2492.

Referências bibliográficas consultadas:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042008000100003

https://www.researchgate.net/figure/Figura-12-Bauhinia-curvula-col-Helena-07-a-ramo-florifero-b-fruto-c-contorno_fig8_242593183

http://reflora.jbrj.gov.br/reflora/listaBrasil/FichaPublicaTaxonUC/FichaPublicaTaxonUC.do?id=FB27767

Autor: Felippe Reis, zootecnista

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*