De olho nas possibilidades de venda da boiada de safra em 2020

As altas projetadas para a venda da boiada de safra são historicamente interessantes, mas o momento é de travar apenas preços mínimos.

venda da boiada de safra em 2020

O cenário é de otimismo no mercado do boi gordo, e realmente há motivos para isso. A crescente demanda de exportação de carne para a China, o consumo interno melhorando e a expectativa de entrada na fase de retenção de fêmeas geram esse cenário.

Em meados de novembro, os preços futuros do boi gordo apontam para valores em torno de R$ 213,50/@, à vista, livre de Funrural, para maio de 2020. Isso equivale a uma alta de 20,9% frente à média de novembro de 2019.

Vale destacar que, como em novembro o mercado decolou, a arroba em meados do mês já é negociada em R$ 202,00, nas mesmas condições. Frente a esse valor pontual a alta seria de 6,6%.

Essa análise foca no período de venda da safra na primeira metade de 2020.

Cenário esperado para a próxima safra

O período de oferta maior de gado de pastagem, a safra, tem algumas características que merecem atenção.

O primeiro ponto é que nessa época a disponibilidade de gado confinado é menor. As chuvas atrapalham a questão operacional do confinamento, além desse ser menos atrativo, uma vez que há pastagem.

A importância de um volume bem menor de gado confinado está relacionada à idade de abate. A demanda chinesa, importante vetor das altas atuais, tem basicamente uma exigência, que é o abate de bovinos com até 30 meses. O gado de confinamento, em geral, atende o requisito, fato que não ocorre com bovinos de pastagem, considerando a realidade de boa parte das propriedades brasileiras.

Leia também: O consumo de carne no Brasil e no mundo

Ou seja, haverá forte disputa para compra do gado jovem pelos frigoríficos que trabalham com exportações.

O segundo ponto relacionado à safra é que ela concentra o maior volume de fêmeas abatidas, devido ao calendário reprodutivo. Parte das vacas e novilhas que não emprenharam, a depender da estratégia da fazenda, é enviada ao frigorífico após a estação de monta.

As novilhas, que podem ser descarte da estação de monta ou mesmo enviadas diretamente para o abate, atendem à exigência de idade. Inclusive, essa demanda maior por novilhas já foi observada em 2019, com importante aumento de abates, nos dados disponíveis até o momento.

Por outro lado, as vacas, também importantes para a oferta do primeiro semestre, devem ter redução dos abates, como efeito da atratividade da cria, gerada pelos preços da reposição em alta.

Em resumo, é provável que tenhamos uma safra de preços firmes.

O mercado futuro está otimista com a safra?

Para responder a essa pergunta e ajudar na avaliação dos preços no mercado futuro, fizemos uma comparação com outros anos.

A figura 1 mostra as variações de novembro do ano anterior até maio, detalhado no eixo. No caso de 2020, temos a comparação dos preços futuros de maio de 2020 com a média de novembro (até 19/11), além da comparação dos futuros com os preços vigentes (2020). Tanto os vigentes como os futuros tomaram o observado em 19/11 como referência.

Usamos o contrato de maio como referência porque esse é, normalmente, o de maior volume de negócios no primeiro semestre, além de ser o período de venda do gado que passou a safra em engorda.

Figura 1.
Variações entre novembro do ano anterior e maio do ano de referência (futuros para 2020).

2020a: comparação dos preços futuros de maio/20 com a média de novembro de 2019 (até o dia 19).
2020b: comparação dos preços futuros de maio/20 com o preço do boi gordo em 19/11.
Fonte: B3 / Scot Consultoria

Perceba que as cotações no mercado futuro apontam para as maiores altas, considerando a média de novembro de 2019, ou a quarta maior alta, se considerarmos o preço no mercado físico em 19/11.

A situação de demanda da China é inédita e vem associada à melhoria de consumo doméstico e possível retenção de vacas. Em outras palavras, é possível que 2020 seja um ano como os futuros apontam ou até melhor, para quem tem gado para vender.

Considerações

Apesar das expectativas positivas para os preços na safra 2019/2020, as oportunidades do mercado futuro devem ser aproveitadas. De uma hora para outra, pode ocorrer algum fato novo que venha a mudar o cenário.

Com isso, a indicação é de garantir preços mínimos para a próxima safra. Mais detalhes sobre as possibilidades podem ser encontrados no texto Como garantir o preço de venda da boiada

Destacamos que não é indicada a trava de preços fixos. Use as ferramentas de garantias de preços mínimos, mas sem perder a possibilidade de aproveitar altas maiores, se essas vierem.

Autor: Hyberville Neto – médico-veterinário, msc.

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*