Três aplicativos que ajudam no manejo de pastagens

Conheça três aplicativos que podem ajudar a melhorar a qualidade da pastagem da sua propriedade

aplicativos para pastagem  

A tecnologia tem sido, cada vez mais, uma aliada do agronegócio. Já divulgamos aqui no blog alguns aplicativos que têm ajudado o dia a dia de quem trabalha com pastagem, assim como outras inovações como os drones que monitoram as fazendas, proporcionando benefícios como maior cuidado e segurança para o gado. Agora, selecionamos três aplicativos que vão otimizar ainda mais o manejo de pastagens na sua propriedade rural.

1) Arbopasto e a arborização de pastagens

O Guia Arbopasto foi idealizado em 2013, pela Embrapa, como um material impresso. O objetivo era suprir a necessidade de gerar e organizar informações sobre espécies arbóreas nativas da Amazônia com potencial para arborização de pastagens. Segundo o pesquisador da Embrapa Acre, Carlos Maurício de Andrade, muitas espécies de árvores ocorrem em pastagens, e os pesquisadores ainda não conheciam a capacidade delas para a arborização dessas áreas. “A ideia do Guia é mostrar para o produtor quais são as melhores árvores nativas que ocorrem espontaneamente em pastagens. Ele pode aproveitá-las para manter a arborização desses locais, usando-as para fazer sombra para o gado, fixação de nitrogênio e, ainda, produção de frutos que servem como alimento ao animal”, conta Carlos Maurício.

Apesar de benéfica, a adoção da arborização de pastagens ainda é baixa. Segundo Ana Karina Salman, pesquisadora da Embrapa Rondônia, entre as principais causas da fraca adesão estão a falta de persistência da pastagem sob as árvores, os danos às árvores provocados pelos animais, a velocidade reduzida de crescimento das árvores, o elevado investimento econômico, a falta de infraestrutura e mão de obra especializada, a complexidade do sistema e o desconhecimento dos seus benefícios. Entre as dificuldades está também a dúvida sobre qual é a melhor espécie arbórea a ser implementada. Por isso, os desenvolvedores do Guia Arbopasto apostaram na adequação do material impresso para um aplicativo móvel. Dessa forma, o produtor rural, pecuarista ou técnico, ao estar em contato com a propriedade rural, pode consultar as informações do Guia em seu smartphone para identificar quais espécies são as melhores para utilização na pastagem.

A versão impressa do Guia Arbopasto tem quatro capítulos. Os dois primeiros são dedicados a conceituar os sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta e apresentar recomendações para implantação de sistemas silvipastoris. O terceiro traz a metodologia detalhada para caracterização e avaliação das espécies arbóreas. O último e quarto capítulo é a apresentação das espécies arbóreas caracterizadas e classificadas de acordo com seus potenciais para compor sistemas silvipastoris.

Onde encontrar: Disponível para dispositivos Android na Google Play. O aplicativo funciona online e, para demais aparelhos, pode ser acessado na versão para navegador.

Como usar: O aplicativo é fácil e intuitivo. Ao abrir, o usuário clica em “catálogo de árvores” e tem acesso a diversas espécies catalogadas. Basta acessar a de sua preferência clicando no ícone “i” e conferir informações como: nome comum, família, subfamília, nome científico, sinonímia botânica, outros nomes comuns, ocorrência natural, bioma e data da última atualização.

aplicativos para pastagem

2) BullGreen Pasture Technology: controle de qualidade

Já falamos aqui no blog sobre algumas startups que estão fazendo história na agropecuária. Dessa vez, vamos abordar o trabalho da BullGreen Pasture Technology. A startup surgiu após um dos sócios da empresa ter uma experiência no campo de mais de 20 anos. Assim, foi possível ouvir e observar quais eram as maiores necessidades e dificuldades enfrentadas no campo. “Detectamos problemas desde urgências que comprometiam o rendimento profissional dos donos de fazenda, até a gestão de pessoal no campo”, conta Luís Gustavo Mendes, sócio da BullGreen.

Em um primeiro momento, a gestão da conversão de biomassa em proteína foi o foco principal da empresa. Para isso, foi desenvolvida uma plataforma para aumentar a eficiência do uso das pastagens. “Esse é um dos grandes divisores para o sucesso do setor, pois estamos falando de aproximadamente 170 milhões de hectares de pastagens no Brasil, ocupadas com menos de uma unidade animal (UA) por hectare”, afirma Luís. Segundo ele, o resultado é uma pecuária com baixa eficiência, produtos com qualidade igualmente baixa e pouco competitiva, pastos degradados e, por fim, alta pressão socioambiental.

Luís conta que, sem a oferta de soluções simples e eficazes, os problemas socioambientais vão persistir. Um exemplo disso é a abertura de novas áreas por meio da derrubada de florestas e a produção em pastos de baixa qualidade. “Somos totalmente contrários a isso e estamos perfeitamente alinhados com todas as políticas de sustentabilidade da cadeia”, afirma o sócio da BullGreen.  

O software, junto com o aplicativo desenvolvido pela empresa, realiza o manejo das pastagens com o auxílio de imagens via satélite. Mas, para não depender da internet, o usuário pode utilizar o aplicativo mesmo sem rede. Quando conectada, a ferramenta envia os dados para a plataforma, que conta com um algoritmo que faz a classificação da qualidade do pasto com dados coletados em campo e gerados via satélite.

O software da BullGreen oferece dados e análise com precisão sobre a altura das forragens, presença de plantas daninhas e número de animais em campo. Essas informações podem auxiliar no planejamento e no rotacionamento do rebanho, além de oferecer o diagnóstico da pastagem em poucas horas.

Como usar: Para utilizar o software desenvolvido pela BullGreen, é só entrar em contato com a startup. Tanto a plataforma quanto o aplicativo são intuitivos e simples de usar.

3) Pasto Certo: mais informações sobre a pastagem

Além do Arbopasto, citado acima, outro software que oferece uma série de dados relevantes para o produtor é o Pasto Certo, focado nas características das principais forrageiras tropicais. O aplicativo foi lançado pela Embrapa em parceria com outras instituições e ajuda a identificar cultivares, assim como aponta as principais recomendações e restrições de cada espécie.

Onde encontrar: Disponível para dispositivos Android na Google Play, é gratuito. O Pasto Certo também oferece um canal de comunicação para que o usuário envie dúvidas para a equipe responsável.

Como usar:  O Pasto Certo é um software bastante intuitivo. Ao abrir o aplicativo, o usuário já tem acesso a diversas espécies de cultivares. Basta clicar na planta de interesse e acessar informações como: identidade (nome comum, significado do nome, cultivar, origem, titular da proteção, ano de lançamento); morfologia (hábito de crescimento, altura da planta, intensidade perfilhamento basal, propagação, cerosidade do colmo, comprimento do internódio, diâmetro do colmo, arquitetura da folha, comprimento da bainha, distribuição da pilosidade na bainha, dureza da pilosidade da bainha, comprimento da lâmina foliar, largura da lâmina foliar, entre outros); agronomia (nível de exigência em fertilidade, saturação por bases esperada, responsividade à adubação, tolerância à acidez do solo, entre outros); pastejo animal (ganho de peso, taxa de lotação, produtividade animal anual, primeiro pastejo, entre outros); integração (tolerância ao sombreamento, facilidade de dissecação, facilidade de consorciamento com gramíneas anuais, entre outros) e estádio juvenil (altura da planta, coloração do colo da planta, número total de folhas, entre outros).

Com essas ferramentas, vai ficar mais fácil manter a qualidade da pastagem da sua propriedade. Conte com a gente para ter sempre os melhores instrumentos e as últimas novidades em tecnologia na palma da sua mão!

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

2 respostas para “Três aplicativos que ajudam no manejo de pastagens”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*