Você sabe qual é a importância do inventário da propriedade rural?

Saber a relação exata de bens é essencial para analisar a evolução do patrimônio e prevenir problemas fiscais

inventario da propriedade rural

Um bom gestor de agronegócio sabe da importância de conhecer com precisão todos os itens que compõem o seu capital. Embora a contabilidade faça os controles de entrada e saída, as informações podem se tornar imprecisas ao longo do tempo e você precisa estar atento a isso para evitar problemas futuros. É aí que entra um item essencial para a gestão da propriedade rural: o inventário.

Para o advogado Giovanni Trombini Taques, do setor de agronegócios do Marins Bertoldi, o inventário rural é instrumento essencial para uma gestão eficiente da propriedade, pois ele permite ao produtor mensurar com maior exatidão qual o valor real do seu patrimônio, incluindo o valor da sua terra, dos seus ativos biológicos, maquinário e demais bens.

Este processo se refere à contagem e conferência de todos os bens disponíveis na propriedade. No registro, são levados em conta a terra, as benfeitorias, as máquinas e os equipamentos, as culturas permanentes (aquelas que produzem mais de um ciclo), os animais em estoque, os animais produtivos e os de trabalho, entre outros.

Esse levantamento periódico é essencial para corrigir possíveis falhas nas informações contábeis, de forma a cumprir exigências do fisco, mas também tem um objetivo importante na administração: o acompanhamento da evolução patrimonial.

A realização de levantamentos periódicos proporciona ao gestor da fazenda uma maior facilidade no cumprimento das suas obrigações contábeis e fiscais, pontua Giovanni.

Entender a variação patrimonial é essencial ao gestor agro

O inventário deve ser o primeiro levantamento do ano contábil, pois ele permite ao pecuarista entender se o saldo da propriedade foi positivo ou negativo, com base em informações concretas e atualizadas.

O advogado explica que o período ideal para realizar o levantamento é no início e no final de cada ano fiscal, ao passo que permite ao produtor avaliar com exatidão a variação patrimonial dos ativos que compõem a fazenda, além de obter dados suficientes para se calcular os custos de depreciação e remuneração dos investimentos realizados com benfeitorias, maquinários, animais reprodutores, de trabalho e culturas permanentes.

Na hora de criar a escrituração, o gestor deve explicitar os dados de cada item, como quantidade, estado de conservação, ano de aquisição ou construção, valor inicial unitário, valor inicial total, se é depreciável ou não e até quando.

Durante a análise, deve-se aplicar aos itens os preços atualizados de mercado, calculando de forma mais realista os custos de depreciação e remuneração do capital, para que o gestor possa analisar toda a evolução do balanço patrimonial e se houve crescimento ou queda no período em questão.

O levantamento patrimonial pode ser utilizado também para incorporar a receita bruta da atividade quando houver, por exemplo, variação no rebanho: essa diferença deve ser considerada como renda bruta do período para fins de cálculo.

Cumprimento de obrigações fiscais mais eficiente

É comum para qualquer negócio o cumprimento de obrigações fiscais para estar em conformidade tributária e evitar multas ou problemas judiciais – e não é diferente no agronegócio. O inventário facilita o trabalho do contador e auxilia na manutenção da fazenda. Existem normas contábeis, por exemplo, que determinam critérios que devem ser adotados na contabilização dos animais que compõem o rebanho.

Classificados de acordo com suas contribuições para a atividade da fazenda, como animais de trabalho, de reprodução ou de renda, é necessário um levantamento para entender a variação dessa contribuição conforme o tempo passa e as necessidades de cada momento. Valorização e depreciação impactam diretamente no desenvolvimento do seu negócio.

Inventário para otimização da gestão de estoque

Outro benefício de realizar um inventário frequente é otimizar a gestão de estoque, ter uma noção precisa dos itens para coordenar melhor os insumos e a compra de produtos. Essa análise pode contribuir para reduzir perdas, definir o limite entre estoque e falta, além de orientar o investimento correto para cada momento. Uma gestão profissional da propriedade rural deve analisar anualmente a variação patrimonial de forma a identificar os pontos de melhoria.

O inventário rural permite ao proprietário a realização de um planejamento patrimonial e sucessório eficiente, facilitando a saúde financeira no negócio rural e a vida dos seus sucessores, afirma o advogado.

Leia também: Investimento e gestão: a chave para o sucesso na pecuária

O advogado também esclarece que a falta de um inventário provavelmente refletirá em uma contabilidade divergente da realidade da fazenda. O desalinhamento destas informações gera dificuldades ao proprietário no momento de realizar suas declarações fiscais e, principalmente, no momento de avaliar seu patrimônio, tanto para fins de venda da fazenda quanto para fins de mensuração de herança. O inventário rural permite ao proprietário a realização de um planejamento sucessório e patrimonial eficiente, facilitando a vida dos seus sucessores e a saúde financeira no negócio rural.

Gostou das informações? Compartilhe com a gente nos comentários! Aproveite e acompanhe o Pasto Extraordinário para ficar por dentro de dicas sobre vida no campo, novidades na pecuária, atualizações de mercado e muitos outros conteúdos extraordinários.

Clique e leia a matéria completa

Tags

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos e personalizados

Cadastro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*